‘Meu nome é Teresa, fui pastora da Igreja Metodista e agora sou ateia’

Paulo Lopes, em seu blog

No dia 26 de março, uma mulher de cabelos curtos e roupa escura subiu ao palco para dar um depoimento. Suas primeiras palavras foram: “Meu nome é Teresa. Sou pastora de uma igreja metodista, pelo menos era. Eu me tornei ateia”. Na plateia, centenas de pessoas vibraram por mais de um minuto [ver vídeo abaixo], comovendo a ex-pastora, que teve de enxugar uma lágrima.

O depoimento de Teresa MacBain (foto), 44, foi um dos pontos altos da conferência de ateus realizada naquela mês em Bethesda, no Estado de Maryland (EUA). Após os aplausos, ela disse que tinha sido uma “inimiga” deles. A plateia riu.

Emoção no anúncio da descrença

Filha de um sacerdote conservador, ela contou ter sido pastora em Tallahassee (Flórida) por mais de 10 anos. Em 2009, tinha sido promovida a pastora sênior, cumprindo a rotina de dar dois sermões por domingo, cantar hinos, orar por doentes. Mas ela tinha de parar com aquilo por uma questão de consciência e de lealdade para com os fiéis, porque deixou de acreditar em Deus. Seu último sermão foi no domingo dia 18 daquele mês. Falou de seu passado, de suas angústias e da necessidade de seguir novos caminhos.

Por algum tempo Teresa se sentiu aterrorizada só de pensar na reação dos fiéis quando soubessem de sua descrença. Mas naquele domingo decidiu que não iria mais se importar com isso.

Não foi fácil para Teresa lidar com sua consciência e se assumir como descrente, mas agora ela se defronta outro problema, o da rejeição.

Dan Barker, um ex-pastor que atualmente é co-presidente da FFRF (Freedom From Religion Foundation), uma organização de ateus e livres pensadores, já tinha avisado Teresa: “É preciso estar preparada porque você vai perder a família, o emprego, tudo”.

Foi o que aconteceu.

Alguns dos parentes de Teresa mandaram dizer que não a querem em suas casas e a maioria de seus amigos — pastores entre eles — deixou de falar com ela.

Teresa não sai de casa sozinha por causa das ameaças de violência que vem sofrendo pela internet, algumas delas de fiéis que não se conformam com a “enganação” dela. Agências desmarcaram as entrevistas que ela tinha marcado para obter novo emprego. Uma associação de humanistas da Flórida se ofereceu para lhe pagar um salário por um ano.

O que ajudou Teresa em seus momentos de crise de consciência foi o Projeto Clero, da Fundação Richard Dawkins. Trata-se de uma comunidade virtual anônima para dar apoio a sacerdotes ateus, principalmente aos que se encontram “dentro do armário”. Ao longo de meses Teresa teve contato com uma pessoa cujo pseudônimo é “Lynn”, que é um dos responsáveis pelo projeto.

O futuro profissional de Teresa ainda é incerto. Mas ao menos ela deixou de sentir dores de estômago e de cabeça aos domingos, antes dos sermões nos quais dizia coisas em que não  acreditava. “Agora me sinto bem.”

Íntegra do vídeo.

Com informação do Religion News Service, entre outros sites.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for ‘Meu nome é Teresa, fui pastora da Igreja Metodista e agora sou ateia’

6 Comentários

  1. Será se ela realmente algum dia acreditou em Deus?

  2. Sou cristã, e acho errado a atitude dos amigos e familiares dels. Se foi isso que ela quis pra vida dela, quem somos nós para julgar?! 

  3. Interessante, mesmo que voce não perca sua fé, ao sair de uma denominação os “amigos” somem, como pulgas que caem de um cachorro morto… Isso mostra apenas o quão superficiais são os vínculos religiosos. Ateísmo? Ok, cada um tem a crença que lhe agrada.

  4. Carolscury disse:

    Muitas vezes as pessoas colocam a “instituição igreja”  acima de Deus e isso vira um fardo sem limites. Acha que está fazendo aquilo que Deus quer e não está. Vive debaixo da lei e não da graça. Como a própria Bíblia fala que a Lei mata mas é o Espírito de Deus que a vivifica. E quando existe essa decepção confunde com crer na não existência de Deus.
    Aquele que conheceu VERDADEIRAMENTE a JESUS, não consegue voltar a trás.  

  5. Wolô disse:

    Davi percebeu que os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Jesus disse com cristalina clareza para Tomé: – Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.
    .
    Abrir mão da glória de Deus manifesta nos céus, da obra de suas mãos anunciada no firmamento e da realidade de Jesus Cristo ressuscitado mas trazendo ainda as marcas da crucificação, é um problema muito sério pra qualquer um.
    .
    Imagino que a situação interior de um incrédulo ignorante é sobremodo dramática.
    .
    A situação dessa senhora é ainda mais.
    .
    Os que confiam no Senhor sabem o que devem fazer.
    .

Deixe o seu comentário