Mulher será indenizada após ser chamada de “filha do diabo” por pastor pentecostal

Publicado originalmente no Última Instância

O TJ-SC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) manteve a condenação um pastor de igreja pentecostal do município de Palhoça, que deverá indenizar por danos morais, uma vizinha do templo ofendida durante o culto. A mulher conversava com a flha no portão de sua casa, quando foi chamada de filha do Diabo e que deveria se tratar com Deus. A sentença de 1º grau determinou o pagamento de R$ 1,5 mil.

O pastor apelou ao TJ-SC, alegando “legítima defesa da igreja e da própria fé que professa” para justificar os impropérios. Disse que a moça costumeiramente debochava dos frequentadores da igreja e que sua atitude foi, em verdade, de defesa contra tais ataques. Nos autos, entretanto, nenhuma testemunha confirmou esse comportamento da vizinha da igreja.

O desembargador Monteiro Rocha, relator da matéria classificou a ofensa como descriminatória. “Tem-se que o réu, por ação voluntária, violou o direito de crença da autora, causando-lhe ofensa, por discriminação e por falta de solidariedade e fraternidade ao seu patrimônio ético. Por isso, tem o dever de indenizar a autora”, definiu.

dica do Givaldo Corcinio

Número da apelação cívil: 2009.043906-4

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Mulher será indenizada após ser chamada de “filha do diabo” por pastor pentecostal

Deixe o seu comentário