MPF entra com representação contra repórter que debochou de preso

O vídeo em que a repórter debocha de um suspeito de estupro repercutiu nas redes sociais. Foto: YouTube/Reprodução

Publicado originalmente no Terra

O Ministério Público Federal (MPF) da Bahia entrou, nesta quarta-feira, com uma representação contra a repórter Mirella Cunha, que realizou uma entrevista debochando de um preso. Na terça-feira o vídeo da entrevista, veiculada há alguns meses, teve grande repercussão nas mídias sociais.

No vídeo em questão, Mirella entrevista um preso, acusado de roubo e estupro. De acordo com o MPF, a entrevista viola os direitos constitucionais do entrevistado por indícios de abuso de autoridade, ofensa a direitos da personalidade e descumprimento de súmula do Superior Tribunal Federal (STF) limitando o uso de algemas a casos excepcionais.

O procurador da República Vladimir Aras, que é coordenador do Núcleo Criminal do MPF/BA, encaminhou a representação à Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão para que sejam adotadas as medidas cabíveis contra a repórter. O documento foi enviado também à Procuradoria-Geral de Justiça do Estado da Bahia; à Procuradoria Geral da República (PGR), e à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), para que adotem as providencias pertinentes.

A representação foi encaminhada, ainda, à Defensoria Pública da União e à produção do Brasil Urgente para que preserve a fita bruta, sem edição, do programa e a encaminhe ao MPF em cinco dias.

Atualização 16h55

Após deboche, Band vai demitir repórter do “Brasil Urgente”

dica do Kelwer Miranda

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for MPF entra com representação contra repórter que debochou de preso

Deixe o seu comentário