Homofóbico passou um ano vivendo como ‘gay’

Fernando Moreira, no Page not Found

Timothy Kurek nasceu em uma família conservadora, foi criado em escolas cristãs e era homofóbico. Um belo dia o americano resolveu sair do armário. A jornada começou com duas palavras simples, proferidas a familiares e amigos, em 2009: “Sou gay”.

Mas, na verdade, Timothy não tinha se assumido. Ele fingiu durante um ano ser gay. Tudo para entender o que acontece no processo de saída do armário e como as pessoas reagem a ela.

O resultado Timothy publicou no livro “Jesus in Drag”, que será lançado em breve nos EUA.

“Eu saí do armário para todos! Meus parentes, meus amigos, todo mundo. Quando tudo isso começou eu não estava pensando em um livro. Eu simplesmente precisava entender, da forma mais realista, como ser gay poderia afetar a minha vida. A experiência social exigia tudo ou nada. Só pouquíssimas pessoas sabiam o que eu estava fazendo”, disse o autor, que mora em Seattle, em entrevista ao “Huffington Post”.

O americano relatou ter sido aceito pela maior parte das pessoas com quem convive. Mas, na família, o clima foi diferente, com a repetição das palavras cristãs “ame o pecador, odeie o pecado”.

Um amigo de Timothy se tornou “namorado” e professor dele.

“Mas eu tinha carta branca para sair de situações que eu considerasse muito desconfortáveis”, contou.

A experiência ajudou Timothy a vencer a homofobia e a se tornar mais tolerante, como ele desejava. E agora o autor ri quando se recorda da primeira vez dele em uma boate gay:

“Em toda a minha vida eu nunca estive cercado de tantos gays. Nunca me senti tão desconfortável. Em poucos minutos um cara me assediou na pista de dança. Ele não vestia camisa e tinha o corpo coberto de óleo para criança e glitter. Eu não sabia se dava um soco nele ou se ia fumar um cigarro após o fim da música. Ele na verdade era um cara legal, mas tudo o que eu tinha aprendido na escola cristão me dizia que se tratava de um predador sexual e um depravado. Estava irracionalmente com medo. Eu não estava na mesma sintonia que o lugar na primeira noite. Eu só me lembro do medo”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Homofóbico passou um ano vivendo como ‘gay’

5 Comentários

  1. Paula disse:

    me lembrou a música da banda Pedra Leticia: Resolução… vou namorar um traveco, agora a fila andou…eu até ganho um amigo, joga a bola comigo e ainda pega no gol!! Pode falar não me importo com o q venha depois….

  2. Ariane Alves disse:

    Se ser homofóbica é não concordar com a pratica entre duas pessoas do mesmo sexo? Prazer, sou uma tb! Eu nunca achei gay tão chato como nos dias hoje. Povo sem noção, prepotentes, arrogante e sem escrúpulo. Quem quer respeito, tem que dá respeito. E esse grupo de GLS não querem apenas serem respeitados como pessoas, eles se acham uma raça superior! EstA ficando chata essas frescuras de tudo é homofobia, pensou diferente de um gay vc é homofóbico!! Quem me dera ter nascido na época dos meus avós!!

    • Guilherme disse:

      Parabéns por ser uma pessoa que generaliza! Como ALGUNS gays generalizam HETEROS como HOMOFOBICOS, você é uma HETERO que generaliza GAYS como ”
      Povo sem noção, prepotentes, arrogante e sem escrúpulo”. Sou hetero. Moro junto de um casal gay, onde um deles é meu amigo de infância. Já discuti muito com eles sobre o assunto. Se você acha que eles não são menospresados, assediados ou sofrem, você é uma pessoa muito ignorante.

  3. Mari disse:

    Ariane, por favor, vá se tratar.

  4. Ariane Alves uma Dica pra ti Então pq vc não pega a maquina do tempo e volta… Te aconselho a voltar uns 65 milhões de anos, pois vc encontrará seres com a sua mesma mentalidade 😉

Deixe o seu comentário