‘Song Pop’ leva velho ‘Qual é a música?’ para mundo dos games e rede social

Logo do aplicativo 'Song Pop'

Renata Honorato e Paula Reverbel, na Veja on-line

O novo fenômeno dos games sociais arrebanha usuários em todo o mundo repetindo a pergunta de um jogo que é mais antigo do que as redes sociais, os smartphones e a internet: qual é a música? O Song Pop desafia os participantes, reunidos aos pares, a responder qual o nome da canção reproduzida pelo programa, ou seu intérprete. Ganha quem adivinhar mais rápido. A música é retirada de uma das várias playlists acumuladas pelo aplicativo – há desde listas do bom e velho rock’n’roll até música brasileira, passando por “rap moderno”, sertanejo e funk carioca. Quem disse que seria fácil?

Lançado no dia 29 de maio, o app – gratuito – está disponível para iPhones e iPads e também para tablets e smartphones que utilizam o sistema Android, do Google. Mas sua criadora, a FreshPlanet, uma empresa nova-iorquina especializada em jogos sociais, mostrou-se mais sagaz ao produzir uma versão para o Facebook que pode ser acessada no computador. Em apenas 20 dias, o app alcançou a marca de 1 milhão de usuários só na rede social, de acordo com levantamento do site App Data. É um feito. No Google Play, loja de aplicativos do Android, o número de downloads do jogo já superou os 100.000. No iTunes, a loja de apps da Apple, ele está entre os mais populares.

Esse não é o primeiro gol digital de Mathieu Nouzareth, CEO da FreshPlanet. Em 2001, ele fundou o Boonty.com, um dos primeiros grandes sites de jogos casuais da internet. Para Mitikazu Koga Lisboa, diretor executivo da Hive Digital Mídia, desenvolvedora brasileira de jogos sociais, a FreshPlanet fez um ótimo trabalho ao levar para o jogo um assunto de interesse universal. “Todo mundo gosta de música. O sucesso seria o mesmo se o game fosse de cinema ou futebol”, diz. “Além disso, ao permitir a integração entre plataformas – smartphones, tablets, rede social – , ele facilita sua viralização.”

Para avançar no jogo – e ouvir mais músicas – é possível adquirir novas playlists, como as brasileiras de sertanejo ou funk carioca, usando moedas de ouro virtuais que o jogador ganha à medida que vence os desafios. Mas o jogo também aceita dinheiro de verdade – eis a inteligente mecânica de geração de receita do serviço. Os jogadores podem comprar o dinheiro virtual com cartão de crédito: 400 moedas de ouro saem por 1,99 dólar.

As faixas apresentadas no jogo também podem ser compradas no iTunes, o que sugere uma possível parceria da empresa com a Apple (procurada pela reportagem, a FreshPlanet não se pronunciou sobre o assunto). Na loja da Apple, o preço dos fonogramas varia de 0,99 a 1,29 dólar. Todas as músicas usadas no Song Pop foram licenciadas. Para isso, a FreshPlanet fechou acordos com a BMI, Ascap e SoundExchange, companhias especializadas em gerenciamento de direitos autorais.

Se o sucesso vem rápido… O desafio do Song Pop agora é evitar o destino de jogos sociais como o Draw Something, que ascendeu rapidamente, mas que já sofre com perda considerável de usuários. Há uma razão para isso. “Por serem tão simples, esses jogos não permitem muita inovação, vital para a sobrevida de games”, diz Daniel Trócoli, executivo do setor de jogos sociais no Brasil. Ronaldo Bastos, vice-presidente de vendas do Click Jogos, um dos maiores sites de games casuais do país, é menos pessimista: “É certo que a onda vai passar, mas o Song Pop não vai sumir. Ele mistura música, rede social e desafio: é uma receita perfeita.”

As cinco razões do sucesso do Song Pop

Disputa pelo saber

O Song Pop acrescenta um elemento ao prazer de competir: a possilibildade de exibir conhecimento. Quem não gosta de mostrar que sabe mais? O desafio é desvendar músicas e intérpretes. O jogo é generoso: em vez de apresentar canções obscuras, põe na disputa bandas e cantores notórios. Assim, ninguém fica de fora da brincadeira.

Interação com redes sociais

O Song Pop permite que seus usuários brinquem com desconhecidos. Ele possibilita ainda que seus usuários acessem seus perfis no Facebook, localizando ali nomes e rostos familiares para desafiá-los.

Aplicativo para Facebook

Ao contrário de outros jogos, o Song Pop não ficou restrito ao ambiente de smartphones, em aplicativos para as plataformas iOS, da Apple, e Android, do Google. O jogo avançou muito ao lançar um aplicativo para Facebook – ali, tem um público potencial de 900 milhões de usuários. A estratégia ampliou o alcance do título, possibilitando que ele seja jogado a partir de computadores.

Aplicativo para Facebook

Ao contrário de outros jogos, o Song Pop não ficou restrito ao ambiente de smartphones, em aplicativos para as plataformas iOS, da Apple, e Android, do Google. O jogo avançou muito ao lançar um aplicativo para Facebook – ali, tem um público potencial de 900 milhões de usuários. A estratégia ampliou o alcance do título, possibilitando que ele seja jogado a partir de computadores.

Expansão para novas fases

Ao iniciar o jogo, o usuário só pode escolher entre algumas poucas playlists – é o caso da lista músicas de rock dos anos 80. Depois de acumular pontos, o jogador pode comprar playlists de outros gêneros, como funk carioca e música eletrônica. Dessa maneira, o jogo ganha variações e estimula o usuário a seguir brincando.

 

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for ‘Song Pop’ leva velho ‘Qual é a música?’ para mundo dos games e rede social

Deixe o seu comentário