Sou cristão, mas não deixo de ser humano

Renan Porto, no Blog do Fale

“Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças.” (Mt 9:35)

Neste link da ABUB sobre o CONJUVE, diz que “a própria Bíblia nos mostra o quão integral – e até mesmo plural – era o ministério de Jesus. O texto de Mateus segue dizendo que Jesus teve compaixão das multidões. As ações de Jesus refletem algumas importantes dimensões da nossa co-missão à luz do Reino de Deus. De acordo com o texto bíblico é preciso percorrer cidades e povoados, ensinar, pregar as boas novas e curar TODAS as enfermidades!”

Não somos constituídos apenas de espírito. Somos humanos, pensadores, amantes, trabalhadores, estudantes, cidadãos, filhos, amigos, irmãos, namorados, músicos, vítimas, protagonistas de mudanças, etc. Não somos deste mundo, mas, estamos neste mundo. Como cristãos, imitadores de Cristo, cabe a nós o papel não só de evangelizar, mas, também, de difundir a cultura cristã à sociedade. Afinal, estamos inseridos nela.

Infelizmente, a grande maioria dos cristãos se prendem à igreja, mas apenas à igreja. Esquecem de que o mundo material está totalmente envolvido com o mundo espiritual, exercendo influências e, ao mesmo tempo, sendo influenciado. O mundo material é formado pela exteriorização das ideias e sentimentos humanos, que por sua vez, tambem são influencias do mundo espiritual.
A própria Bíblia nos diz isso em Lucas 6:43 a 45:
“Porque não há árvore boa que dê mau fruto, nem tampouco árvore má que dê bom fruto. Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois dos espinheiros não se colhem figos, nem dos abrolhos se vindimam uvas.
O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.”
Ou seja, assim como a arvore exterioriza em forma de frutos, a essência de sua espécie, o que tem dentro dela, devemos faze-lo também.

A sociedade é influenciada por diversas correntes ideológicas. Muitas dessas ideologias trazem para o meio social valores distorcidos do que realmente é bom e agradável para a humanidade. Nós, cristãos, devemos estar atentos a combater tais distorções de valores e transmitir para o meio em que vivemos aquilo que realmente é importante para o desenvolvimento social e integridade do ser humano.

Nós vivemos em um tempo regido pelo pós-modernismo, que dita valores como o egoísmo, a valorização e independência do “eu”, a busca pelo prazer a qualquer custo, o relativismo e a liberdade de pensamento, mesmo que estes sejam totalmente nocivos ao convívio social. Existe uma batalha constante entre egos. O desejo particular de muitos é colocado acima do bem comum de todos. O homem só se manifesta quando a sua atmosfera particular é atingida. Ele só luta por algo quando vê para si algum benefício. E assim, aos poucos o mundo vai se autodestruindo.

É importante o nosso envolvimento em todas as áreas sociais, tais como a saúde, política, economia, educação, etc.  Devemos estar buscando o nosso espaço na política, nas universidades, na família, etc, através da participação em partidos, projetos sociais, campanhas, grupos da universidade, sindicatos e outras organizações. Não podemos ver o mundo cair em um caos moral. Devemos assumir nosso papel como seres sociais e, principalmente, como cristãos. A mudança virá a partir do momento em que sairmos da nossa zona de conforto e passarmos a ser conscientes de que não vivemos sozinhos aqui, vivemos em comunidade.

Portanto, acorde, pense, mova-se, una-se, ame, não só viva, exista !
Você tem uma responsabilidade para com o reino de Deus e você um dia será cobrado.

Renan Porto é estudante de Direito na UNIUBE e faz parte da ABU Uberaba e da Rede FALE.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Sou cristão, mas não deixo de ser humano

Deixe o seu comentário