Mãe do lutador morto, sobre o assassino do filho: “Eu o perdoo. Peço a Jesus para converter o coração dessa pessoa”

Marcos Nunes, no Extra

Assassinado na porta da quadra da escola de Samba Leão de Nova Iguaçu, na madrugada de domingo, na Baixada Fluminense, o lutador de MMA Henrique Gomes de Oliveira, de 27 anos, o Henrique Negão, pode ter sido morto por vingança, segundo a Polícia Civil.

Henrique havia acabado de sair do baile de funk “Se não aguenta, por que veio?”, quando foi atingido por três tiros no rosto.

Uma denúncia, recebida nesta segunda-feira pela polícia, relata que o atleta discutiu em uma festa, há 15 dias, com um homem que seria o autor ou o mandante do crime.

A hipótese é uma das duas linhas que estão sendo investigadas pelo Delegado Delmir Gouvea, da 56ª DP (Comendador Soares).

A outra informação é a de que o lutador tentou separar uma briga no baile funk.

Na saída do evento, um dos envolvidos no conflito teria disparado os tiros.

Henrique Negão era peso médio e treinava na equipe JT Caverna, na Team Nogueira, dos irmãos Minotauro e Minotouro. Ele também já lutou em eventos profissionais como Jungle Fight, MMA Contra a Dengue e Senna Fight, e teria uma luta agendada para o dia 16 de novembro, no Acre.

Evangélica, Eliane Gomes Oliveira, de 52, mãe do lutador, disse, pouco antes do sepultamento do filho, no cemitério de Nova Iguaçu, que perdoou o homem responsável pelos tiros que tiraram a vida de Henrique Negão.

— Eu o perdôo. Não sei quem foi que fez isso com meu filho, mas peço a Jesus para converter o coração dessa pessoa, para que ele não faça mais ninguém sentir a dor que eu estou sentindo. Meu filho era um ótimo menino — disse.

Polícia retira faixas do baile funk, que não tinha autorização para ser realizado
Polícia retira faixas do baile funk, que não tinha autorização para ser realizado

Pelo menos 200 pessoas compareceram ao enterro do atleta, entre amigos, lutadores e parentes. Durante o sepultamento, Juliana Silva, mãe de um filho do lutador, passou e mal e precisou ser socorrida por parentes.

Ontem, o delegado Delmir Gouvea esteve na quadra da Leão de Nova Iguaçu e apreendeu uma faixa, que anunciava a festa funk com ingressos de R$ 30 para homens e R$ 15 para mulheres.

— Não havia autorização para realização do baile. O local está interditado e impedido de realizar shows e eventos até apresentem documentos das autoridades competentes — disse.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Mãe do lutador morto, sobre o assassino do filho: “Eu o perdoo. Peço a Jesus para converter o coração dessa pessoa”

Deixe o seu comentário