Quer subir na carreira? Exagere seus feitos

Guilherme de Souza, no HypeScience

Se você é daquelas pessoas que tendem a exagerar as próprias conquistas (dizer que terminou uma tarefa em meia hora, quando na verdade levou duas, por exemplo), pode ter uma vantagem na hora de concorrer a cargos de liderança em uma organização. Esse controverso hábito de “se alugar” foi investigado em pesquisa feita recentemente com estudantes de MBA dos Estados Unidos.

Os participantes foram divididos em grupos nos quais deveria ser escolhido um líder. A princípio, os pesquisadores acreditavam que as escolhas seriam feitas com base na experiência de cada candidato (que havia sido mostrada em estudo anterior).

“Salvo por qualquer discriminação explícita contra mulheres – algo improvável em um experimento com estudantes universitários – os grupos deveriam selecionar os indivíduos mais talentosos, independentemente de seu gênero”, explica Paola Sapienza, professora de finanças da Universidade Northwestern (EUA).

Ao invés disso, mulheres mais talentosas e experientes foram “ultrapassadas” por homens menos qualificados do que elas. Qual o motivo? Sapienza e seus colegas acreditam que os homens tendem a exagerar os próprios feitos, o que aumenta suas chances de serem escolhidos para ser líderes. Essa tendência é menos comum entre mulheres, dizem, e isso as deixa “para trás”.

Os pesquisadores apontam que as empresas deveriam levar em conta essa possibilidade de exagero quando um candidato relata suas realizações profissionais, levando a escolhas mais baseadas na competência do que na capacidade de “aumentar fatos”.[Science Daily]

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Quer subir na carreira? Exagere seus feitos

Deixe o seu comentário