No Brasil, escritor espanhol afirma que Igreja católica “mente muito”

O escritor e jornalista espanhol J.J. Benítez, autor da célebre saga literária “Cavalo de Tróia”, disse nesta quarta-feira (31) em São Paulo que a Igreja católica “mente muito” sobre a vida de Jesus, além de ter “enterrado” a mensagem de igualdade entre os seres humanos que ele propagava.

Em declarações à Agência Efe, o escritor, que autografou suas obras em uma livraria de São Paulo, contou que uma leitora lhe disse que considerava que a Igreja mentia “um pouco”. Benítez respondeu dizendo que, na realidade, ela “mente muito”.

“A Igreja mente, manipula e censura”, disse o escritor ao referir-se às dúvidas sobre a autenticidade da autoria dos evangelhos.

Na opinião do autor, se desconhece com clareza como os textos foram escritos e destacou a possibilidade de diferentes pessoas ao longo da história terem modificado os fatos da vida de Jesus a partir de notas de algum dos evangelistas.

Além disso, Benítez considerou que o sucesso de seus livros está relacionado ao fato de eles tratarem a figura de Jesus como um ser “próximo”, o que lhe confere uma humanidade que a Igreja esqueceu por “ignorância ou por interesse”.

O escritor também disse que a autêntica mensagem de Jesus, de que todos os seres humanos são filhos de Deus e iguais entre si, foi “enterrada” pelos padres da Igreja. “Estamos vivendo uma falsidade histórica”, lamentou.

Autor de 55 livros, Benítez garantiu que talvez sua obra “de maior importância” seja “Cavalo de Tróia”, fenômeno que, reconheceu, lhe entristece um pouco pelo fato de ter escrito com o mesmo empenho e amor sua obra.

O autor, que deve deixar o Brasil nesta quinta-feira (1º), passou cinco dias no país, onde visitou as cidades de Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte e São Paulo.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for No Brasil, escritor espanhol afirma que Igreja católica “mente muito”

Deixe o seu comentário