Cerveja após exercício físico hidrata mais rápido que água, afirma estudo

Iúri Totti, no Pulso

No sábado, 08, aconteceu a Corrida Drunks é uma prova etílica que surgiu após uma brincadeira entre amigos, em 2007. Os corredores partirão da Cobal do Leblon e a chegada será no Leme. No caminho, cada um terá direito a três chopes. A prova faz tanto sucesso que as inscrições deste ano esgotaram antes do prazo. Nessa mistura de suor e cerveja fica dúvida: até que ponto essa relação de álcool e corrida pode ser saudável?

A nutricionista do Espaço Stella Torreão Lícia Pereira, que também é corredora, se baseia num estudo espanhol feito em 2008 para responder a esta pergunta. Os pesquisadores colocaram um grupo para correr numa esteira a 40°C. Após o exercício, metade bebeu cerveja enquanto a outra foi no copo d’água. E foi possível observar que o organismo de quem bebeu cerveja se hidratou mais rápido do que o de quem bebeu água.

“A cerveja tem componentes como o sódio e o potássio que proporcionaram uma hidratação mais rápida e completa. No entanto, vale ressaltar que essa comparação foi feita com a água. Se o estudo fosse feito com uma bebida isotônica, provavelmente, o resultado seria outro”, comenta a nutricionista.

O estudo espanhol ainda aponta que o homem poderia beber dois copos de cerveja, enquanto as mulheres deveriam ficar em um. Entretanto, é preciso fazer uma ressalva. A cerveja tem álcool. Se o corredor beber sempre cerveja após os treinos a chance de seu organismo desenvolver uma dependência é grande.

“Algumas pessoas chegam a treinar todos os dias da semana. Imagina se cada corrida vier acompanhada de um chope. Existe o risco de virar alcoólatra”, revela a nutricionista, revelando os momentos  para se tomar cerveja. “O ideal é depois da corrida. Antes e durante é um pouco complicado pois o álcool tem um efeito diurético, o que pode desidratar mais ainda o corredor durante o desempenho”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Cerveja após exercício físico hidrata mais rápido que água, afirma estudo

Deixe o seu comentário