Ode ao crentês

megafone_foto_01

Zé Libério, no Além das Fronteiras

Eu insulto o crentês! O crentês-níquel,

o crentês-crentês!
A digestão malfeita da igreja!
O crentês-curva! O crentês-nádegas!
O crentês que sendo francês, brasileiro, italiano,
é sempre um espiritual pouco-a-pouco!
Eu insulto as aristocracias eclesiais!
Os apóstolos lampiões! os bispos Joões! os líderes
zurros!
que vivem dentro dos “templos” aos pulos;
e exigem sangues de alguns mil-fiéis fracos
para dizerem que os crentes falam o angeliquês

e tocam os “céus” com seus louvores!

Eu insulto o crentês-funesto!

O indigesto feijão com toucinho, dono das revelações!
Fora os que determinam os amanhãs!
Olha a vida dos nossos setembros!
Fará Sol? Choverá? Arlequinal!
Mas à chuva de bênçãos

o êxtase fará sempre Sol!

Morte à gordura!
Morte às adiposidades eclesiais!
Morte ao crentês-mensal!
ao crentês-campanha! ao crentês uno-mille!
Show da fé! Morte viva aos voluntários!
– Ai, deus, o que tens pra mim nos teus planos?
– Uma casa na praia… – Um milhão e meio!!!!

E os sem fé morrerão de fome!”

Come! Come-te a ti mesmo, oh religiosidade pasma!

Oh! Purée de batatas espirituais!
Oh! Cabelos nas ventas! oh! carecas!
Ira aos regulamentos não bíblicos!
Ira aos jejuns musculares! Morte à falsa reverência!
Ira ao bençãocentrismo! Ira aos im-pecáveis!
Ira aos desfalecimentos sem arrependimentos,
sempiternamente as mesmices eclesiais!
De mãos pro alto! Marco eu o compasso! Eia!
Dois a dois! Primeira unção! Vigia!
Todos para a central-gospel da minha ira inebriante.

Ira e repúdio! Ira e raiva! Ira e mais ira!
Morte ao crentês de joelhos,
fedendo religião e que não respeita a palavra de Deus!
Ira arco-íris! Ira fecunda! Ira cíclica!
Ira fundamentada, sem chavões!
Fora! Fu! Fora o crentês!…

dica da Meire Souza

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Ode ao crentês

Deixe o seu comentário