A falácia do argumento de “liberdade de expressão” empregada pelos crentes contra os homossexuais

Bem, vem cá, ó defensor da Bíblia, ó paladino da liberdade de expressão: por que você não reclama que não se pode mais defender a escravidão? O Congresso proibiu, a sociedade recusa, mas a Bíblia manda escravizar e matar cananeus…

igreja batista de westboro

Osvaldo Luiz Ribeiro, no blog Peroratio

Os crentes homofóbicos que querem continuar a tratar a homossexualidade como “a” aberração contra Deus (Deus esse que tolera mataram-no o Filho, alias, ele mesmo mata, o Filho e quem mais lhe aparecer pela frente, mas não tolera o sexo entre duas mulheres e entre dois homens) alegam que têm o direito a dizer deles, homossexuais, e dela, a homossexualidade, o que a Bíblia diz… É a Bíblia que diz, eles berram, é o próprio Deus que o disse, eles palreiam…

Alegam (será consciente, a falácia? – ou é mera estupidez, provocada pelo medo e pelo atordoamento?) que os direitos civis a gays o Congresso já deu, mas amordaçar-lhes a boca de Deus, a boca de Jesus, a boca do Espírito Santo, com o que demonizam e humilham os gays, isso a sociedade não pode fazer! Não podem amordaçar a Bíbnlia, não podem calar o próprio Deus!, eles perdigotam pelas ruas…

Bem, vem cá, ó defensor da Bíblia, ó paladino da liberdade de expressão: por que você não reclama que não se pode mais defender a escravidão? O Congresso proibiu, a sociedade recusa, mas a Bíblia manda escravizar e matar cananeus… Deus mesmo, pessoalmente mandou. E te calas? Traidor!

Por que você não se insurge contra a campanha de não bater em crianças? A Bíblia manda meter a vara (sem trocadilhos!) no menino, porque assim ele aprende, mas a sociedade hoje não quer nem palmada – e você não pragueja pela janela, pragueja? Por que não vejo você nas redes, a resmungas, a reclamar, a encher o saco? Calaram Deus e tu te calas? Blasfemo!

Por que você não se insurge, em praça pública, contra a sociedade que concede direitos civis às mulheres – quando a Bíblia inteira, você sabe, só reconhece um ser, em toda a criação, como detentor de direitos civis e subjetividade – o macho, o “tu” da Lei? Deus pôs a mulher ao lado do jumento e da casa do próximo, objeto dele, tábua escrita com o próprio dedo divino, e tu te calas quando a humanidade vil quer impedir vara e chinelas? Não defendes teu Deus? Apóstata!

Acho você um pouco seletivo. Aliás, acho você muito seletivo. E hipócrita, por conseguinte… Traidor de Deus, blasfemo e apóstata…Mas, na causa gay, vejo-te firme… Firme até demais… Seletivo e firme… Vejo-te em gozos…

Olhe-se no espelho: e pergunte-se por que, realmente, tem tanto problema com a homossexualidade… Não te importas de terem calado Deus em outras questões, mas nessa, na questão da homossexualidade, nessa te importa totalmente que Deus não seja calado…Por quê?

Será o ricochete psicológico de negar ao outro o que o próprio corpo pede e, então, transferir para a sociedade a interdição de você mesmo, para que possa lavar as mãos quanto ao seu próprio destino?

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A falácia do argumento de “liberdade de expressão” empregada pelos crentes contra os homossexuais

5 Comentários

  1. plinio disse:

    cala a boca maldito…sem alma..depravado.lava a tua boca com fogo para falar de DEUS seu amaldiçoado.quando vc seu jumento souber alguma coisa da bíblia, ai vc pode abrir essa sua boca podre.ignorante…medíocre…olhe-se no espelho você seu porco amaldiçoado.seu podre.nao vou nem entrar em debate teológico com vc por que vc nao merece e nao sabe de nada.leigo nojento.escarnecedor…guarde a sua cólera no seu coraçao imundo.

  2. Felipe Queres disse:

    Caros comentadores irados, mais uma vez a falta de preocupação em verificar as fontes, por nos faltar o hábito é claro, e a nossa pressa em defender Deus e a sua palavra, antes até mesmo de pensar, fizeram com que a maioria de vocês odiassem antes de entender o que odiaram e porque odiaram, e moveu a que condenassem antes de julgar.

    Primeiro ao considerar o autor do texto um leigo e pouco conhecedor do texto bíblico. Pesquisem o nome, os textos, as publicações, os trabalhos, os títulos e vocês vão ver que não se trata de alguém que levianamente com o texto bíblico nas mãos vocifera acusações e argumentos infundados, mas alguém que fala à partir daquilo que estudou a vida inteira e com certeza possui mais conhecimento técnico que aqueles que ridicularizam a sua leitura das escrituras. Ai você vai dizer: quando se trata de Deus, títulos não querem dizer nada. Ok! Você pode dizer isso. Mas vai ter que ser coerente e falar também: eu posso até saber menos de bíblia que ele, mas sei mais de Deus do que ele. Bom, por coerência ser capaz de pronunciar essa frase define muita coisa, te coloca num lugar especial entre todas as pessoas e realmente tira você da ridícula obrigação do diálogo, afinal, você está num outro nível por isso não precisa respeitar como o outro pensa Deus e as escrituras.

    Obviamente escolhemos pelo que lutar, a nossa leitura das escrituras é como a leitura de tudo o que fazemos, relativa, condicionada ao que somos, ao que queremos ser e ao que não queremos ser, por isso pinçamos textos que nos servem apenas como muleta, apenas pra dizer que esse nosso conceito, ou aquele outro não é nosso próprio, mas do Deus. E fizemos a mesma coisa com o texto acima.

    Não ser capaz de encontrar um Deus que prefere favorecer os homens, que submete mulheres, que transforma pessoas de outros povos em escravos, que manda matar o inimigo é fazer não a leitura ampla e completa que julgamos fazer das escrituras, é fazer mais uma vez a nossa seleção. Ficar com aquilo que podemos engolir, aquilo que é controlável pra nós, que se mantenha coerente e com isso nos mantenha confortáveis.

    O texto só diz isso: a nossa argumentação e luta por liberdade de expressão para falar contra a homossexualidade é hipócrita, porque obviamente, com tantas pautas e outras matérias negligenciadas da mesma escritura, não é possível que sejamos mesmo esses defensores dos valores de Deus.

    Mas há esperança, podemos quem sabe um dia nos tornarmos coerentes, um pouco pelo menos e decidir levar a bíblia mais a sério e sair matando todo mundo, ou levar menos a sério e quem sabe, num sonho louco, respeitar todo mundo.

    Namastê!

  3. Filipe disse:

    Leigo? Não conhece nada de Bíblia ou de Teologia?! Vejamos: o cara é batista, formado em Teologia pelo Seminário do Sul e doutor em Antigo Testamento pela PUC-Rio. Realmente, não sabe nada da Bíblia!

    E quanto amor vejo aqui… por isso que fico cada vez mais cético sobre as igrejas, principalmente as mais recentes.

  4. Marcelo Smeets disse:

    Ah, caro coelhinho ricochete. Dançou pra cá, virou pra lá, regurgitou, espinafrou ao léu e foi cair na vala comum dos “‘nóis’ é gay assumido e quem fala contra é gay enrustido”. São os gays discriminando seu próprio comportamento: “esses caras atacam a gente porque são gays também”. Vejam que maldade, estão atacando os companheiros gays, pobrezinhos, que não encontraram forças para arrombar o armário. Isso sim é discriminação. Ai, ai, ai…
    Seguindo essa obtusa ideia, poderíamos dizer que, quando os cristãos falam contra o aborto, há desejo velado, inenarrável de abortar?
    Não teve você o direito de discriminar cristãos, acusando-os de hipócritas, caro autor ricocheteante? Que tal escrever com um pouco menos de ira?
    Aos comentadores que babaram na camiseta ao falar do currículo do autor, digo que ser formado em Antigo Testamento pela PUC do Rio (ou que fosse de SP), significa: zzzzzzzzzzzzzzzz.

  5. pedro disse:

    Gostaria de saber porque gays acham que todo argumento contrário é preconceito?

    Não gostar de gay é preconceito? obs: não confunda com respeitar!!!

    Nunca foi e nunca será preconceito, se vc é contra liberdade de expressão, então calete pois não é coerente defender sua ideia quando faz questão de oprimir as demais.

Deixe o seu comentário