Uma cidade egípcia encontrada embaixo d’água, 1200 anos depois

lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-4

Janara Lopes, no IdeaFixa

1200 anos atrás, a antiga cidade egípcia de Heracleion desapareceu sob o Mediterrâneo. Fundada por volta do século 8 aC, acredita-se que Heracleion serviu como porta de entrada obrigatória para o Egito, para todos os navios que vinham do mundo grego.

lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-5

Antes de sua descoberta em 2000, pelo arqueólogo Franck Goddio, nenhum traço de Thonis-Heracleion tinha sido encontrada (a cidade era conhecida pelos gregos como Thonis). Seu nome foi quase destruído pelos poucos registros, apenas preservada em textos clássicos antigos e inscrições raras encontradas em terra por arqueólogos.

lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-2

Franck Goddio e sua equipe localizaram, mapearam e escavaram partes da cidade de Thonis-Heracleion. Ela está localizada dentro de uma área de pesquisa em Aboukir Bay, uma baía localizada no norte do Egito.

lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-1

Até agora foram encontrados:

– Os restos de mais de 64 navios enterrados na argila grossa e areia que cobre o fundo do mar
– As moedas de ouro e pesos feitos de bronze e pedra
– Estátuas gigantes de e mais centenas de estátuas menores de deuses menos importantes
– Lajes de pedra inscritas em egípcio e grego antigos
– Dezenas de pequenos sarcófagos de pedra calcária
– Mais de 700 antigas âncoras para navios

lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-8 lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-7 lost-city-of-heracleion-egypt-franck-goddio-6

dica da Rina Noronha

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Uma cidade egípcia encontrada embaixo d’água, 1200 anos depois

1 Comentário

  1. Tiago Ramos disse:

    Como esta cidade foi parar no fundo do mediterrâneo?

    Há muitas coisas na história RECENTE da humanidade que são totalmente desconhecidas, ficaram soterradas ou mergulhadas; a História pode ser mudada com novos achados arqueológicos, ou novas interpretações, logo aquilo que entendemos por História é apenas um conjunto de relatos e artefatos interpretado conforme a fé ou a criatividade de um grupo de pessoas. Que diremos então de eventos longínquos no tempo, que dependem de várias premissas e especulações científicas não testáveis?

Deixe o seu comentário