Feliciano, agora, quer projeto que criminaliza a ‘heterofobia’

foto: Internet

foto: Internet

Lauro Jardim, no Radar on-line

Depois de conseguir o que queria, ao aprovar na Comissão de Direitos Humanos o projeto apelidado de “Cura Gay” (Leia mais em: Feliciano versus psicólogos), Marco Feliciano botou na conta de seus antecessores a pauta do colegiado.

O discurso soa como justificativa para mais chumbo grosso que deve vir por aí. Estão na pauta da CDH um projeto que criminaliza a heterofobia, outro sugerindo um plebiscito para a população decidir sobre a legitimidade do casamento gay e um terceiro, que cria a profissão de prostituta.

Explica Feliciano, jogando o abacaxi no colo da turma que comandou a comissão antes dele:

– Esse pessoal monitorava os projetos que iam de encontro aos interesses deles para levá-los à comissão e interromper a tramitação ou derrubá-los.

A propósito, Feliciano conta que tentou levar para a colegiado que preside o não menos bombástico projeto do Estatuto do Nascituro, que cria, entre outras coisas, uma bolsa a ser paga às vítimas de estupro que engravidam e decidem ter o bebê.

Feliciano é favorável à medida, mas desistiu de puxar a proposta para ser discutida na CDH, segundo ele, para não criar mais uma etapa de tramitação e, com isso, atrasar a aprovação.

Por fim, Feliciano se diz insatisfeito com o que tem disponível para votar na comissão:

– Eu gostaria mesmo é de votar na CDH projetos ligados a direitos humanos, que ajudem os índios, os quilombolas e a família.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Feliciano, agora, quer projeto que criminaliza a ‘heterofobia’

Deixe o seu comentário