Estudantes da UnB fazem apologia a estupro de calouras do curso de Engenharia de Redes

Foto postada na internet gerou revolta e repúdio

 Publicação gerou 1.400 compartilhamentos e quase 147 comentários de desaprovação e repúdio (Reprodução Facebook)

Publicação gerou 1.400 compartilhamentos e quase 147 comentários de desaprovação e repúdio (Reprodução Facebook)

Paulo Mondego, no R7

Um internauta se revoltou ao presenciar uma cena no campus da Asa Norte da UnB (Universidade de Brasília) que classificou como absurda. Ele fotografou dois jovens, supostamente estudantes do curso de Engenharia de Redes, segurando um cartaz com os seguintes dizeres: caiu na redes (em referência ao curso superior)… é estupro. O estudante postou a foto no Facebook e gerou revolta em muitas pessoas que comentaram a publicação.

O autor do post relatou que, ao presenciar a cena, se aproximou dos rapazes que seguravam o cartaz e questionou o motivo da iniciativa. Eles teriam respondido que seria um “estuprinho”, como trote às calouras do curso Engenharia de Redes. O rapaz então teria alertado que os jovens estariam fazendo apologia a um crime hediondo, mesmo assim, os estudantes não teriam dado importância e continuaram ostentando o cartaz.

O jovem que publicou o post não explicou as circunstâncias nem quando a foto foi tirada. Mas, segundo a assessoria de comunicação da UnB, que já tomou conhecimento do episódio, o registro foi feito nesta quarta-feira (24) por ocasião da divulgação da lista de aprovados no segundo vestibular de 2013. Até as 10h desta quarta-feira a publicação gerou 1.400 compartilhamentos e quase 147 comentários de desaprovação e repúdio.

A assessoria de comunicação da Universidade de Brasília informou que a reitoria está tomando as devidas providências e deve se pronunciar nas próximas horas.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Estudantes da UnB fazem apologia a estupro de calouras do curso de Engenharia de Redes

3 Comentários

  1. sleiman disse:

    Com todo respeito às visões divergentes, não sei se a atitude dos estudantes foi tão inconveniente, ao ponto de provocar revoltas. É verdade que a palavra estupro pode causar desconfortos vários na alma de muitos, porque ela, na maioria dos contextos, significa uma violência, mais do que do corpo, da alma.

    Entretanto, como as palavras não carregam significados fixos, entendo que, desta vez e provavelmente, o de estupro não quis sugerir hediondez. A revolta dos que, lá no “face”, postaram seus descontentamentos a mim me pareceu um exagero. Aliás, o verbo estuprar e suas formas já têm seu registro nas falas dos mais jovens, na maioria dos casos não necessariamente como algo de bom, mas não com o sentido de crime.

    Esse é só um ponto de vista. Se eu fosse dizer algo mais, talvez eu falasse sobre o que, atualmente, considera-se estupro. O velho e romântico beijo roubado já não mais seria tão romântico assim. É, pela nova tipificação, “violência sexual”. E agora…?

    • Green disse:

      Estupro é estupro não me venha com essa que tem significados diferentes., não vamos passar a mão na cabeça de dois idiotas. Estupro não é brincadeira.

      • sleiman disse:

        Foi apenas uma análise. Pense na palavra “coitadinha”. Ela é uma variação de COITO, e o que significa coito? Aqui está: “s.m. Cópula carnal na espécie humana ou entre animais; fornicação”.Veja como seu significado vai ganhando outros contornos…

        E eu não acredito que os dois garotos sejam criminosos. No máximo, irresponsáveis. Sobre o “estupro não ser brincadeira”, aquele que vai em sua cabeça realmente não é.

Deixe o seu comentário