Católicos de Varginha reclamam de vigília evangélica durante festa do papa

Fiéis da Igreja Evangélica Monte Sião participaram de uma vigília na véspera e durante o dia da chegada do papa

Moradores da comunidade de Varginha em Manguinhos, se preparam para receber o Papa Francisco - (foto: Heitor Feitosa/Veja)

Moradores da comunidade de Varginha em Manguinhos, se preparam para receber o Papa Francisco – (foto: Heitor Feitosa/Veja)

Élcio Braga, no iG

Nem todo mundo recebeu o Papa Francisco de braços abertos nesta quinta-feira pela manhã na Comunidade da Varginha, em Manguinhos, na zona norte do Rio. Fiéis da Igreja Evangélica Monte Sião participaram de uma vigília às vésperas da chegada do Santo Padre. O templo fica exatamente em frente ao campo de futebol, onde Francisco discursou para os católicos. Foram em vão os apelos para que o culto terminasse.

Policiais estiveram no templo para convencer os pastores a interromper a vigília. Três agentes entraram na igreja e demoraram a sair. “Os policiais que entraram devem ter aceitado Jesus e se juntaram aos evangélicos”, provocou uma moradora, sem se identificar.

Quando o papa chegou à Varginha, o volume do som foi reduzido. Mas cânticos e louvores permaneceram mesmo durante o discurso papal. “Tem gente que não conseguiu dormir. O som estava alto demais”, lamentou o marítimo Alexandre Pereira, 42 anos, hospedado na casa de amigos, bem em frente ao culto evangélico.

Católico, Alexandre acredita que a vigília havia sido convocada só para os fiéis da denominação não terem como ver o papa. “Peço ao papa que os abençoe também”, observou o peregrino, defendendo a união de todas as religiões.

A reportagem do iG tentou ouvir uma representante da Monte Sião, mas ela alegou não ter tempo para falar. Obreiros que cuidavam do portão de acesso ao templo não permitiam a entrada de quem não fosse membro. Eles não quiseram comentar se a vigília seria uma resposta à visita do Papa Francisco. O templo fica na rua Carlos Chagas, a principal da comunidade, por onde o papa iniciou a visita.

A aposentada Arilda Cruz, 71 anos, reclamou da vigília evangélica durante a recepção ao papa. “Se a festa fosse dos evangélicos, duvido que os católicos fariam isso. Mas não são todos os crentes que agem assim”, ponderou.

dica do Ailsom F. Heringer

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Católicos de Varginha reclamam de vigília evangélica durante festa do papa

6 Comentários

  1. Ronaldo Oliiveira disse:

    Lembrão-se da passagem quando Daniel foi coagido a não adorar durante um periodo se nao apenas ao Rei?? A midia so publicou o papa nesta semana, e de alguma forma invadiu nossas casas em todos os canais… os evangélicos nao devem explicação alguma…afinal, agora estão lançando Daniel novamente na cova dos leões e agora aquele que estava ”Adorando” o DEUS VERDADEIRO” receberá o livramento divino na hora ”oportuna”

  2. JORGE disse:

    com serteza isso não viria de um cristão e sim de umpagão porcão que ignora a dêus e suas normas ! .

Deixe o seu comentário