MP denuncia pastor da Assembleia de Deus por estelionato

Concursos_Ministerio-Publico_fachada_HH_041

Publicado no Terra

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio da 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 2ª Central de Inquéritos de Niterói, ofereceu denúncia contra o pastor Leonardo da Conceição Almeida Leite, da Igreja Assembleia de Deus, localizada no Morro do Estado, no centro de Niterói, pela prática do crime de estelionato.

Segundo a denúncia, no período entre julho de 2005 e fevereiro de 2011, Leite recebeu R$ 9,9 mil após enganar a aposentada Maria Pereira da Silva Santos, aproveitando-se da fé religiosa da vítima e do fato de ela ser analfabeta.

De acordo com a denúncia, sob o falso pretexto de ajudar a aposentada em questões administrativas e bancárias, o pastor a acompanhava até agências bancárias, acabando por obter, em seu próprio benefício, empréstimos consignados em dinheiro em nome dela, mas sem revelar que era ele o verdadeiro beneficiário. O valor, então, era descontado no contracheque de Maria.

A investigação apurou que a aposentada já conhecia o acusado desde a infância deste e nutria carinho e confiança por ele, ainda mais em razão da condição de pastor evangélico. Porém, ela começou a passar por sérias dificuldades financeiras, o que fez a sua filha desconfiar. Ela constatou diversos descontos no contracheque, detectando que o beneficiário era o pastor da igreja que a mãe frequentava. Na delegacia, o pastor confirmou os fatos.

A pena para o crime de estelionato é de um a cinco anos de prisão. O MP se recusou a oferecer proposta de suspensão condicional do processo, pois, entre outros motivos, o denunciado se aproveitou da fé de uma pessoa analfabeta.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for MP denuncia pastor da Assembleia de Deus por estelionato

2 Comentários

  1. sleiman disse:

    Vou além… Se o estelionatário era pastor, é porque pastoreava, ou seja, havia ovelhas para quem pregar. Segundo a Bíblia, há um espírito a quem chamam de Espírito Santo de Deus, que convence do pecado, da justiça e do juízo todos aqueles que aceitam a Cristo como senhor e salvador.

    Quando anuncia algo, tal espírito opera, segundo os crédulos, por meio de revelações. Pergunto, então: por que a conduta do “pastor” não foi “denunciada” por tal espírito? Por que apenas por meio da desconfiança da filha da vítima e por meio da ação concreta do MP do Rio é que as ações do estelionatário vieram à tona?

    Pra piorar, aqui embaixo onde as coisas são diferentes, vem um pastor e diz que tais canalhas são ungidos de deus. Mas isso não é nada ainda, pois a própria Bíblia afirma serem eles anjos da igreja.

    Não quero saber quem são os demônios…

    • wilson disse:

      é a mesma biblia que afirma q no final dos tempos, muitos vai dizer pra Deus que curavam, e falavam em Seu nome, e Ele prontamente dira para se afastarem pois nunca os conheceu…
      Se informe antes de criticar, na boa 🙂

      Pelo sua “fala”, vc esta bem sedento por conhecer esse “espirito” né?! Que tal, entrar no seu quarto e pedir para q Ele se revele a vc? te garanto q vc terá uma surpresa 😉

      Fica na paz

Deixe o seu comentário