Após piada, brasileira é barrada em voo para Bali

Thaís Buratto da Silva, 24, impedida de embarcar em um voo para a Indonésia devido a uma piada feita por seu pai em SP (foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

Thaís Buratto da Silva, 24, impedida de embarcar em um voo para a Indonésia devido a uma piada feita por seu pai em SP (foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

Rafael Tatemoto, na Folha de S.Paulo

Uma jovem foi impedida de embarcar em um voo internacional neste domingo (25) devido a uma piada feita por seu pai no aeroporto de Cumbica.

Thaís Buratto da Silva, 24, recém-formada em gestão ambiental pela USP, iria pegar o voo 922 da Qatar Airways com destino a Bali, na Indonésia, com escala em Doha, no Qatar.

Ela iria participar do 6º Congresso anual da “Parceria dos Serviços Ecossistêmicos”. As passagens, que custaram R$ 6.030, foram pagas pela USP.

Thaís iria apresentar seu trabalho de conclusão de curso sobre o custo-benefício da implementação de novas hidrelétricas no rio Tapajós.

Segundo ela, após responder a um questionário anterior ao check-in sobre suas bagagens, seu pai, Renato Camargo da Silva, 55, economista, teria dito em tom jocoso “que bom que não acharam que você era terrorista”.

Após a piada, os dois foram retirados da fila e informados por funcionários da companhia de que ela não poderia embarcar devido a motivos de segurança.

Questionados, informaram que a decisão estava relacionada à referência ao terrorismo feita pelo pai.

“Achei desproporcional”, afirma o pai. “Eu não entendi a reação, foi completamente despropositada.”

Thaís afirma ter tentado explicar que se tratava de um comentário bem-humorado. Diante da negativa dos funcionários, ela disse que se dispôs a ter toda bagagem revistada e até mesmo a viajar apenas com os documentos, sem seus pertences.

Ainda assim, diz ela, a companhia não permitiu seu embarque e reteve seu passaporte para fotografá-lo “sem dar razões [para tanto]”.

“Ainda não acredito no que aconteceu”, afirma Thaís. “É inexplicável, foi claramente uma piada”. Ela diz também que os “funcionários sequer deram direito a meu pai de tentar conversar com eles”.

Thaís afirma que irá procurar a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para registrar o caso e tentará registrar boletim de ocorrência na polícia alegando constrangimento ilegal e calúnia.

OUTRO LADO

A Qatar Airways disse que Thaís Buratto da Silva não embarcou “por razões de segurança”, devido às declarações de seu pai. A empresa disse zelar rigidamente pela “segurança dos passageiros durante seus voos”. Uma posição completa sobre o caso será emitida nesta semana.

Procurada para falar sobre os limites de uma companhia para limitar o embarque de passageiros, a Agência Nacional de Aviação Civil disse que consultará sua área técnica para se posicionar nesta segunda-feira (26).

dica do Ed Brito

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Após piada, brasileira é barrada em voo para Bali

4 Comentários

  1. tito monteiro disse:

    Exagero, exagero, exageradamente esta conduta da Qatar Airways, um absurdo. São radicais ao extremo,cruz credo ave Jesus. tito from brasília.

  2. Marli Glória Garcia disse:

    É por esta e outras que detesto piadinhas de mau gosto. Diante de tudo o que vemos na atualidade a Qatar Airways está certíssima em se prevenir. “Cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém”.

  3. O Corneteiro disse:

    O que pode ter acontecido foi um descuido cultural de palavreado (ou de costume), se os funcionários forem estrangeiros, não entenderam como uma piada e sim como uma coisa que é séria e grave e não queriam correr riscos. Para nós parece ser esdrúxulo mas para eles não. Quando alguns brasileiros vão para fora do país para países estrangeiros, precisam tomar certos cuidados porque pode ser algo ofensivo (se tornar uma gafe desagradável) ou pode ser visto como algo inaceitável ou ofensa certos tipos de comportamento. Já ouvi vários casos de brasileiros que se descuidaram de certas situações como de um brasileiro que resolveu passar pela calçada larga em Londres com o carro para driblar o transito lento e foi pego por um guarda e ficou de castigo 1 hora estacionado e um outro caso nos EUA que ia jogar caroços de maça, isso mesmo, de maçã pela janela do carro, e foi advertido a colocar numa sacolinha de lixo dentro do veículo… Por isso, é bom saber como se comportar quando se está em outro ambiente onde hábitos e culturas são bem diferentes.

Deixe o seu comentário