Kaká reduz salário a quase um terço e diz que “dinheiro nunca foi prioridade”

Kaká é recepcionado com festa por torcedores na sua chegada à Itália para assinatura de contrato (foto: AP Photo/Luca Bruno)

Kaká é recepcionado com festa por torcedores na sua chegada à Itália para assinatura de contrato (foto: AP Photo/Luca Bruno)

Publicado no UOL

O sonho em voltar à seleção brasileira e disputar a Copa do Mundo de 2014 pesaram tanto que Kaká parece ter perdido um bom dinheiro ao decidir deixar o Real Madrid para voltar ao Milan.

Os valores oficiais do novo contrato com o time rubro-negro não foram divulgados, mas, de acordo com o jornal italiano “La Gazzetta dello Sport”, o brasileiro vai receber quatro milhões de euros por temporada, quase um terço do que ganhava no Real Madrid, algo próximo a 11 milhões a cada temporada.

Se não confirma valores, Kaká deixou claro que abriu mão da parte financeira para poder ter mais chances de entrar em campo e tentar colocar fim à instabilidade que passou no time merengue nos últimos quatro anos.

O meia de 31 anos foi liberado de forma gratuita pelo Real Madrid e o contrato será válido por duas temporadas.”Dinheiro nunca foi uma das minhas prioridades e mais uma vez provei isso”, falou o jogador de 31 anos em sua chegada a Milão.

Embora o técnico Luiz Felipe Scolari declare que a escolha de um atleta não está atrelada à titularidade em seus clubes, Kaká teve poucas chances na seleção. Ele participou de amistosos pré- Copa das Confederações, mas não foi relacionado para a competição.

Relutou deixar o time merengue há algumas temporadas por um desejo pessoal de não sair como fracassado ao ser anunciado como uma das caras contratações da história ao custar 65 milhões de euros em 2009.

Chegou a fazer bons jogos na primeira temporada, mas os problemas de lesão e alta concorrência em sua posição o fizeram ser pouco aproveitado pelo ex-técnico do time, José Mourinho.

O português optava pela dupla Özzil e Di Maria na construção das jogadas, e muitas vezes Kaká era preterido também por Modric e Callejon.

Uma possível permanência foi cogitada depois que Carlo Ancelotti, técnico com quem brilhou no Milan, chegou até o time madrileno. Mas foi uma conversa com o próprio que fez Kaká tomar a atitude de pedir para sair.

“Quatro anos se passaram e agora estou de volta. Há 15 dias eu pensei que eu pudesse voltar atrás, eu falei com Carlo Ancelotti e eu percebi que era ideal para mim voltar aqui…nos últimos dias, sonhei sentir novamente no San Siro meu coro, eu não posso esperar”, falou, em entrevista ao site oficial.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Kaká reduz salário a quase um terço e diz que “dinheiro nunca foi prioridade”

Deixe o seu comentário