‘Senti que poderia finalmente ser a vagabunda que realmente sou’, diz Miley Cyrus

Ex-Hannah Montana diz que seu objetivo no VMA era fazer história como Britney Spears e Madonna
MTV americana vai exibir documentário íntimo sobre a cantora e atriz nesta quarta

Miley em uma das poses ousadas no MTV Awards (foto: REUTERS)

Miley em uma das poses ousadas no MTV Awards (foto: REUTERS)

Publicado por O Globo (com Reuters)

IO – A apresentação de Miley Cyrus no MTV Video Music Awards ainda está rendendo declarações polêmicas. No documentário “Miley: The Movement”, que será exibido em 2 de outubro na MTV americana, a cantora e atriz de 20 anos aparece como uma artista ambiciosa, determinada a ver seu single “We Can’t Stop” chegar ao primeiro lugar, e em deixar para trás suas raízes como estrela de “Hannah Montana”, do Disney Channel.

“Senti que poderia finalmente ser a vagabunda que realmente sou”, diz ela no documentário, descrevendo sua apresentação ao lado do cantor Robin Thicke como uma “confusão estratégica e sexy”.

O filme de 1h de duração foi filmado cerca de três meses antes do VMA, com algumas complementações posteriores. Segue Miley em sua casa em Los Angeles com seus cães, durante eventos para promover “We Can’t Stop” e em ensaios. A produção ainda fala sobre sua infância com o pai Billy Ray Cyrus, cantor country, e a mãe, Tish. Também inclui clipes de Britney Spears e colaboradores musicais, o produtor Mike WiLL e o rapper e produtor de discos Pharrell Williams.

O objetivo do programa VMA é “ampliar os limites”, disse ela, acrescentando que quis que a apresentação fosse memorável da mesma forma que o beijo da pop star Britney Spears em Madonna na mesma premiação há uma década.

“É isso o que você está buscando, fazer história”, completa.

Britney, que iniciou uma turnê de dois anos em Las Vegas em dezembro no Planet Hollywood Resort and Casino, e outras estrelas mirins enfrentaram dificuldades pessoais para entrar na carreira adulta. Mas Miley enxerga isso como ponto de partida para ser uma nova artista. A aparência de Miley — unhas pintadas de dourado, tatuagens e cabelo curto e loiro platinado — está bem distante dos seus dias como estrela adolescente em “Hannah Montana”, que ficou no ar de 2006 a 2011. Reforçando sua imagem, ela posou de topless para a capa da revista “Rolling Stone” na edição de outubro e para uma das várias capas de seu álbum “Bangerz”, que deve chegar às lojas em 8 de outubro. Miley também rasga suas roupas no videoclipe da faixa “Wrecking Ball”.

Uma ausência sentida no documentário foi a do ator Liam Hemsworth, de “Jogos Vorazes”. Hemsworth, de 23 anos, e Cyrus terminaram o noivado neste mês, pondo fim a um relacionamento de quatro anos.

“Decidimos nos concentrar na música e no lado profissional”, foi tudo o que Dave Sirulnick, vice-presidente executivo da MTV e produtor-executivo do filme, disse sobre a ausência de Hemsworth.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for ‘Senti que poderia finalmente ser a vagabunda que realmente sou’, diz Miley Cyrus

Deixe o seu comentário