Evangélico seria um dos líderes da corrupção na Câmara de Caruaru (PE)

Evangélico, Sivaldo Oliveira afirmou que "até agora não há provas concretas sobre o crime".

Evangélico, Sivaldo Oliveira afirmou que “até agora não há provas concretas sobre o crime”.

Jénerson Alves de Oliveira, especial para o Pavablog

Durante a última semana, os dez vereadores que estavam presos na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru-PE, conseguiram habeas corpus e saíram de trás das grades. Eles foram acusados, principalmente, de cobrar propina para aprovar projetos de interesse do Poder Executivo. Mesmo assim, as investigações sobre eles ainda estão ocorrendo.

Em entrevista coletiva concedida à imprensa na tarde da sexta-feira 27, o delegado Erick Lessa elencou os líderes da organização, os quais seriam Cecílio Pedro (PTB) e Sivaldo Oliveira (PP), pela bancada da situação, e Val (DEM), o qual também é líder da oposição. Destes, o vereador Sivaldo Oliveira é evangélico e promotor de eventos gospel no município como a ‘Marcha com Jesus’.

Os vereadores podem pegar até 56 anos de prisão. Curiosamente, apenas Sivaldo e Cecílio seriam presos por 28 anos, por causa da insuficiência de provas, apesar de terem sido apontados como líderes do grupo.

Na mesma tarde, os edis citados no caso também concederam entrevista coletiva. Eles alegaram inocência e insinuaram que acusação é perseguição política. O edil Sivaldo Oliveira fez um apelo: “É preciso que não sejamos julgados sem que haja provas concretas, pois até agora nada foi apresentado que comprove crime algum e nós temos direito à defesa”, ressaltou.

Os vereadores investigados são quatro da bancada de situação: Sivaldo Oliveira (PP), Cecílio Pedro (PTB), Val das Rendeiras (PROS) e Jadiel Nascimento (PROS) e seis da oposição: Val (DEM), Louro do Juá (SDD), Eduardo Cantarelli (SDD), Jajá (PPS), Neto (PMN) e Evandro Silva (PMDB).

O caso de Jadiel merece destaque. Apesar de ter colaborado com as investigações, mediante a ‘delação premiada’, ele vai ser investigado novamente, pois há indícios de que o vereador pegou R$ 30 mil emprestados para votar na criação de uma CPI. Jadiel, Sivaldo e Neto formavam a “bancada evangélica” da Casa Jornalista José Carlos Florêncio.

Salários

Mesmo a Justiça tendo definido a suspensão dos parlamentares por 180 dias, eles ainda permanecerão recebendo os salários referentes ao cargo (R$ 9 mil bruto). Assim, pela primeira vez na história de Caruaru, a Câmara de Vereadores passa a contar com 33 parlamentares, divididos em três grupos bem distintos – dez vereadores que até bem pouco tempo não passavam de suplentes, mas que tomaram posse nos cargos por determinação judicial; outros dez vereadores que deixaram a prisão há poucos dias, que reivindicam o retorno aos cargos para os quais foram eleitos, e por fim, os outros dez vereadores até então não indiciados na operação policial.

Diante dessa situação, o presidente da Casa, Leonardo Chaves (PSD), revela que precisará se ‘desdobrar’ para quitar as despesas do Legislativo municipal. “Eu não estou fazendo críticas ou achando que é injusto. Aí, no final das contas, teremos que pagar subsídios a 33, e não 23 vereadores. Nós vamos ter problemas porque o limite com esse tipo de gasto é de 70% do orçamento. É o que diz a Lei de Responsabilidade Fiscal. Se ultrapassarmos esse limite, vamos infringir a lei”, afirma. Ele acrescenta que uma das estratégias a ser adotada deve ser a demissão de assessores parlamentares. Atualmente, há 220 funcionários nessa função, com salários que variam de R$ 900 a R$ 1.500.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Evangélico seria um dos líderes da corrupção na Câmara de Caruaru (PE)

1 Comentário

  1. Manoel Sobrinho disse:

    Estamos com a oportunidade em nossas mãos de escolher os próximos representantes ou não, só depende de NÓS. Que DEUS nos abençoe.

Deixe o seu comentário