Fim de isenção para igrejas recebe mais votos na internet

Mateus Coutinho, no Estadão

O fim de isenções fiscais e tributárias para igrejas e religiões foi a proposta que teve mais votos favoráveis – um total de 233 – dos visitantes da página “Mudando o Brasil”, criada pela aliança PSB-Rede em novembro. Com o objetivo de coletar propostas e incentivar a discussão na internet, a ferramenta contou com 1.700 contribuições em 53 dias e teve a participação encerrada na segunda-feira passada para que as propostas mais bem avaliadas fossem encaminhadas para a formatação do plano de governo da parceria Eduardo Campos/Marina Silva.

O tema mais comentado é potencialmente sensível para a ex-ministra do Meio Ambiente, que pertence à Assembleia de Deus.

“A participação foi muito positiva e nos ajudou a identificar quais são os temas que têm maior demanda da sociedade”, disse o coordenador executivo da Rede, Bazileu Margarido.

Para o professor de Comunicação da Universidade Federal do Ceará e especialista em participação digital nas eleições, Jamil Marques, contudo, a participação foi baixa do ponto de vista numérico. “A maioria dos usuários ainda acredita que sua contribuição não será levada em conta”, avalia.

As sugestões, agora, estão sendo discutidas por um grupo formado por três membros da Rede e três do PSB, e poderão ser incorporadas no futuro programa de governo da aliança. No próximo dia 4, deverá ser lançado um documento com as principais diretrizes que vão nortear o programa.

Em 2010, José Serra criou uma plataforma semelhante, a primeira do tipo no País – que ficou aberta de junho a outubro daquele ano e obteve 27.450 cadastrados. Alguns dos temas em debate chegaram a ter 1.622 contribuições, próximo do total de toda a página do PSB-Rede.

dica do Carlos Bernardes

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Fim de isenção para igrejas recebe mais votos na internet

2 Comentários

  1. Vagner disse:

    Dai a César o que é de César e a Cristo o que é de Cristo. Creio que uma das melhores formas para impedir que um ministro do Evangelho caia na tentação de ter um estilo de vida nababesco , perdulário , egoístico , corrompido e cinicamente exibicionista é acabar com a isenção para igrejas. Aí será uma verdadeira prova de fogo para ter-se certeza se o indivíduo prega por amor ou não!!!!

  2. Gilmar Guimarães disse:

    Acredito que com estas iniciativas, seram mais vistos nossos interesses.

Deixe o seu comentário