Após criticar Rachel Sheherazade, jornalista é ameaçada de morte

Nathália Carvalho, no Comunique-se

Cilene recebeu ameaças por telefone e também por mensagens enviadas pelo Facebook (Imagem: Reprodução)

Cilene recebeu ameaças por telefone e também por mensagens enviadas pelo Facebook (Imagem: Reprodução)

Na manhã desta quinta-feira, 6, a professora universitária e jornalista Cilene Victor da Silva foi ameaçada de morte. De acordo com relato dela em sua página pessoal no Facebook, duas intimidações foram feitas por telefone, além de outras que recebeu pela rede social ou mensagens. A profissional acredita que a violência é resultado de suas críticas ao trabalho da apresentadora do SBT, Rachel Sheherazade.

Em conversa com o Comunique-se, Cilene fala que recebeu duas ligações hoje de manhã com ameaças e intimidações. As vozes do outro lado da linha, segundo ela, eram masculinas. A professora conta que não imaginou ser intimidada e revela que a violência começou após um perfil no Facebook em nome da Rachel divulgar sua página pedindo que denúncias fossem feitas (veja aqui). “Segundos após o post, comecei a receber 10, 20, 50 recados com mensagens de agressões à minha integridade física e moral”.

Sobre a violência, ela diz não ter medo do que ouviu pelo telefone. “As ameaças telefônicas não me assustaram, pois as ligações vieram sem identificação, mas as que escreveram aqui (no Facebook) sim porque tem nome completo das pessoas. Isso mostra que elas não têm nada a perder”.

O caso
Nesta semana, Cilene falou sobre o trabalho de opinião de Rachel exibido pela emissora de Silvio Santos no ‘SBT Brasil’. A professora repudiou o ponto de vista da apresentadora, que definiu como “marginalzinho” um garoto de 15 anos que foi preso a um poste no Rio de Janeiro.

Segundo Rachel, “num país que ostenta incríveis 26 assassinatos a cada 100 mil habitantes, arquiva mais de 80% de inquéritos de homicídio e sofre de violência endêmica, a atitude dos ‘vingadores’ é até compreensível”.

Docente da Cásper Líbero, a acadêmica questionou onde “estão o Ministério Público do Estado de São Paulo, a Fenaj, o Sindicato Jornalistas São Paulo, a direção de Jornalismo do SBT?” e sugeriu que uma investigação fosse feita pelo Ministério Público.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Após criticar Rachel Sheherazade, jornalista é ameaçada de morte

1 Comentário

  1. Yassui Fortes disse:

    Uma coisa que não entendo, as pessoas clamam por liberdade de expressão, mas quando você vai dar sua opinião em um assunto “polêmico”, você é alvejado pelos senhores da sabedoria que se auto-intitulam os defensores da humanidade, só que na real são um bando de hipócritas oportunistas. Que deturpam pensamentos alheios para garantir entrada no roll da fama de 15 minutos, como se criticar, incitar pecuinhas fúteis, fosse melhorar alguma coisa neste mundinho medíocre.

Deixe o seu comentário