Internautas criam página para hostilizar professora da PUC-Rio, responsável por post polêmico

A página já tem quase 10 mil curtidas (Foto: Reprodução/Facebook)

A página já tem quase 10 mil curtidas (Foto: Reprodução/Facebook)

Publicado no Extra

Depois da polêmica com um post no Facebook, Rosa Marina Meyer, professora do Departamento de Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), tornou-se alvo de uma página de ‘humor’ na internet, que tem o claro objetivo de ironizar a postura da professora, que postou a imagem de um homem no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, com a legenda “aeroporto ou rodoviária?”.

Uma das várias montagens da página.

Uma das várias montagens da página.

O post gerou muita polêmica e Rosa foi acusada de preconceito de classe. Na página ‘Rosa Marina Meyer’, criada nesta sexta-feira, já há quase cinco mil curtidas. A descrição do perfil usa as mesmas palavras usadas por ela e por outros colegas acadêmicos: “A professora da PUC-RJ que odeia viajar de avião com quem usa regata, bermuda e tem cara pobre, pois pra viajar com ela, é preciso ter glamour!”.

Além de Rosa, outra professora da PUC-Rio, Daniela T.Vargas, e o reitor da UNIRIO, Luiz Pedro Jutuca, também foram citados e são alvo de montagens e outros comentários mais ofensivos.

O criador da página, que não se identificou, incentiva ainda a criação de uma petição pública na internet para demissão e expulsão dos envolvidos.

A PUC-Rio informou que não vai se pronunciar sobre o caso.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Internautas criam página para hostilizar professora da PUC-Rio, responsável por post polêmico

3 Comentários

  1. Vagner disse:

    Ela simplesmente colheu o que plantou!

  2. Rev disse:

    O Brasil é um pais de hipócritas mesmo. Essa pagina contra a professora é muito mais ofensiva do que o post e a liberdade de opinião que ela tem direito. O post é a opinião pessoal dela e não foi dirigida a ninguém. Estamos vivendo um estado onde se criou uma espécie de patrulha ideológica e cerceamento total de opiniões. Tudo é preconceito ou tudo é homofobia ou tudo é racismo, quando na verdade isso tudo é um fascismo.

  3. Lucas disse:

    Que absurdo isso. Mas ela não é a única, tem muitas outras pessoas iguais a ela espalhadas por ai. Em minha humilde opinião é por isso que o nosso país não vai para frente.

Deixe o seu comentário