Onze motivos estranhos que levaram profissionais à demissão

Simdemitirnecessrio

Publicado no O Globo

No dia 19 de fevereiro, a Pizza Hut decidiu fechar sua unidade em West Virginia, nos Estados Unidos, depois que um vídeo de um funcionário urinando na pia da cozinha caiu na rede. O trabalhador, claro, também foi demitido. Estar com cheiro de cigarro, ironizar clientes no YouTube e estar acima do peso são outros motivos estranhos que levaram profissionais à demissão recentemente, conforme compilou o jornal Huffington Post. Veja onze razões esquisitas que fizeram profissionais perderem seus empregos.

  1. Escrever e-mail em caixa alta

    Em 2007, uma trabalhadora da Nova Zelândia foi dispensada porque mandava e-mails em caixa alta, negrito e com fundo vermelho. Vicki Walker acabou ganhando R$ 40 mil depois por determinação da Justiça. Ela disse que usava os recursos para reforçar algumas instruções.

  2. Ironizar os clientes no YouTube

    O Starbucks demitiu o barista Christopher Cristwell depois que o profissional resolveu descontar sua raiva dos clientes no YouTube. Em 2011, Cristwell fez um vídeo em que cantava uma música usando apenas cuecas e um avental, cuja letra dizia, entre outras coisas, que os amantes de capuccino eram os piores e que os frapuccionos demoravam uma hora para ficar prontos. O barista se defendeu dizendo que fez apenas uma sátira e que havia realmente momentos estressantes no trabalho na rede de cafeterias. O Starbucks alegou que a visão de Cristwell não era compatível com seu compromisso com os clientes. O vídeo ainda está disponível. Veja aqui.

  3. Estar acima do peso

    O excesso de peso foi o motivo que levou Ronald Kratz II a ser demitido, sob alegação de que interferia em sua performance. Kratz depois processou a BAE Systems, que produz veículos militares e na qual ele atuava há 16 anos. O ex-funcionário, que acabou perdendo mais de 100 quilos após a demissão, pesava mais de 300 quilos à época.

  4. Fazer um gesto obsceno para o presidente

    A âncora russa Tatyana Limanova perdeu o emprego após ter “mostrado o dedo” para o presidente Obama ao vivo no telejornal, em 2011. Na verdade, Tatyana disse que fez o gesto não para insultar o presidente americano, mas para pedir que a equipe subisse o teleprompter, e reclamou por ter sido dispensada apenas depois de o vídeo ter se tornado viral na internet. A equipe do canal de TV alegou que a postura da jornalista foi antiprofissional.
    dedo

  5. Urinar na pia Um funcionário da Pizza Hut em West Virginia, nos Estados Unidos, foi pego pela câmera de segurança urinando da pia da cozinha do estabelecimento. Não apenas o trabalhador foi demitido, como a rede de pizzarias decidiu fechar permanentemente a unidade em fevereiro deste ano, após o vídeo ter sido divulgado na internet. Já foram mais de 500 mil visualizações. Veja aqui
  6. Uma fatia a mais de queijo

    Em 2009, uma funcionária holandesa do McDonald’s foi demitida depois de dar a uma colega um cheeseburger em vez de um hambúrguer mais barato, pelo qual ela havia pago. A empresa alegou que a funcionária descumpriu a regra que proíbe beneficiar amigos e parentes com lanches grátis e brindes. Mas a Justiça holandesa determinou que a demissão tinha sido uma punição severa demais para o caso e o Mc Donald’s teve que pagar à ex-funcionária o salário de cinco meses (equivalente ao término de seu contrato), cerca de R$ 13.730.

  7. Cheiro de cigarro

    Stephanie Cannon, uma funcionária do Centro de Câncer Park Nicollet Health, nos Estados Unidos, foi demitida por estar com cheiro de cigarro no trabalho. Ela, inclusive, teria sido orientada a tomar banho no trabalho e a evitar contato com seu marido, também fumante. Apesar dos esforços para tirar o cheiro da roupa, que incluía passar spray perfumado antes de sair de casa, o centro médico acabou dispensando a funcionária, seis semanas depois do início do contrato. Em sua defesa, a americana disse que nunca fumou em horário de trabalho.

  8. Estender licença-médica por câncer

    Em 2010, a funcionária Judy Henderson foi demitida da loja de móveis e acessórios para a casa Home Depot depois de ter informado que precisaria estender sua licença-médica porque estava com câncer. A empresa teve que pagar uma multa de US$ 100 mil (cerca de R$ 235 mil) e promover treinamentos antidiscriminação para seus funcionários.

  9. Usar moeda de papel em lavanderia (há 50 anos) 

    O banco americano Well Fargo demitiu Richard Eggers em 2012, depois de sete anos de contrato, por ter descoberto que, em 1963, ele havia usado uma moeda de papel para usar uma máquina de lavar em uma lavanderia. A empresa, que decidiu apertar sua política anticorrupção, disse que iria dispensar todos os funcionários com anotações em suas fichas criminais, por menor que fossem elas.

  10. Ter câncer de mama 

Em junho de 2012, Kathleen Mason foi demitida do cargo de CEO da cadeia de móveis e objetos para casa Tuesday Morning e alegou que havia sido afastada depois que a diretoria descobriu que ela tinha câncer de mama. Mas a empresa disse que o afastamento se deu por causa de má performance no cargo.

11. Criticar o time no Facebook

O operador do estádio do time de futebol americano Philadelphia Eagles, Dan Leone, foi demitido, em 2009, depois de atualizar seu status do Facebook criticando a venda de um jogador. Mesmo arrependido e tendo pedido desculpas, Leone foi dispensado.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Onze motivos estranhos que levaram profissionais à demissão

1 Comentário

  1. Almeida disse:

    O jornalista Flávio Gomes foi demitido em 2013 da ESPN, após insultar o time do Grêmio no Twitter. Hoje está na FOX.

Deixe o seu comentário