Danilo Gentili fala da concorrência com Rafinha Bastos e da briga judicial que trava com a Band

‘Não dá para me comparar com o Rafinha. Além de apresentar a atração, eu também a criei, a batizei enquanto ele é apenas o apresentador’, diz humorista

Danilo Gentili fala da concorrência com Rafinha Bastos e da briga judicial que trava com a Band (foto: Divulgação/ SBT)

Danilo Gentili fala da concorrência com Rafinha Bastos e da briga judicial que trava com a Band (foto: Divulgação/ SBT)

Nilton Carauta, em O Globo

Recém-chegado ao SBT, onde comandará o “The noite” a partir de amanhã (de segunda a sexta, à meia-noite), Danilo Gentili diz que criou um programa “todo novo”, apesar de ter levado com ele caras conhecidas como os humoristas Leo Lins e Murilo Couto, a assistente de palco Juliana e a banda Ultraje a Rigor, todos vindos do seu “Agora é tarde”, da Band, assumido por Rafinha Bastos. Danilo fala da disputa por audiência com o humorista, seu sócio no Comedians — casa de stand-up comedy em São Paulo —, e da guerra judicial que trava com a antiga emissora.

Gostou da escolha do Rafinha Bastos para comandar o “Agora é tarde” no seu lugar?

Não dá para comparar. A função que ele exerce é completamente diferente da que eu exerci e da que exerço atualmente no SBT. Além de apresentar a atração, eu também a criei, projetei, batizei, consolidei e conquistei uma grade, alavancando a audiência da emissora de 0,4 para 4 pontos, enquanto ele é apenas o apresentador.

Como ficou a questão da sua quebra de contrato com a Band?

Ando tão ocupado em criar um novo programa, que nem estou acompanhando isso de perto. Deixei tudo na mão dos meus advogados. Tudo mesmo! Incluindo seis meses de salários para pagar os honorários deles.

Ficou alguma mágoa?

Nenhuma. Ao contrário. Sou grato por todos os momentos que vivi lá. E sempre procurei agradecer a oportunidade que me deram com trabalho duro e dedicação profunda. Até já fui agredido e preso por causa da emissora (na época em que era repórter do “CQC”). Só acho estranho os processos. Quando você cria um programa de sucesso e continuam o exibindo, você merece ganhar pelo menos um “obrigado”, e não processos. Mas acredito que logo tudo ficará resolvido neste campo jurídico.

Como será o seu programa?

Se nós sempre nos reinventamos, mesmo quando o “Agora é tarde” já estava consolidado, imagina agora, que estamos criando um programa todo novo! A equipe está muito feliz com o clima do bastidor do SBT e tenho certeza que isso vai refletir diretamente no resultado final.

Quais são suas pretensões de audiência?

O máximo para não perder o emprego, e o mínimo para ganhar um aumento. Eu tenho mais processos chegando por aí e preciso pagar os advogados.

Vai pegar pesado com a âncora Rachel Sheherazade, uma das suas convidadas já confirmadas?

Um “Late night” não é feito para pegar pesado. Já recebi no programa os deputados Jean Wyllys e Jair Bolsonaro, a ministra Marta Suplicy e o economista Rodrigo Constantino. Padre e atriz pornô. Inri Cristo e Toninho do Diabo. Todos renderam ótimas conversas. Pretendo continuar sendo um bom anfitrião e dando espaço para as pessoas consumirem a verdadeira liberdade de expressão, que consiste em todo mundo ser livre para falar até aquilo que ninguém concorda.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Danilo Gentili fala da concorrência com Rafinha Bastos e da briga judicial que trava com a Band

Deixe o seu comentário