Polícia apreende adolescente acusado de matar homossexuais no interior de SP

O rapaz, de 17 anos, disse ter ‘ódio de homossexuais’, mas mantinha relacionamento amoroso com as vítimas; crimes aconteceram em Agudos

Chico Siqueira, no Estadão

O adolescente N. A. R., de 17 anos, acusado de matar dois homossexuais e de preparar a morte de um terceiro, em Agudos, interior de São Paulo, disse que matou suas vítimas porque “tem ódio de gays”. Ele estava foragido desde 2 de abril, quando a polícia encontrou o corpo de Igor Alves, de 15 anos, uma de suas vítimas, numa floresta de pinus, na zona rural de Agudos.

O menor foi apreendido em Bauru, cidade para onde fugiu após o crime, em 29 de março. O adolescente tinha acabado de cumprir medida socioeducativa de internação na Fundação Casa pelo assassinato do empresário Waldiney Rocha, de 56 anos, em março de 2013. Em 27 de março de 2014, foi colocado em liberdade pelo Juizado de Menores de Marília (SP), e dois dias depois, matou Igor Alves.

Segundo o delegado Jader Biazon, de Agudos, Igor morreu porque estava apaixonado pelo adolescente. “Os dois mantinham um relacionamento amoroso, iniciado quando o adolescente, que cumpria pena de semiliberdade na Fundação Casa de Iaras (SP), vinha a Agudos nos fins de semana para visitar familiares”, explicou.

“Ao ser apreendido na segunda-feira, 6, ele disse, em vários momentos, que matou suas vítimas porque tem ódio de homossexuais e que pretendia matar outros gays”, contou Biazon. “Ele esfaqueou Igor diversas vezes na região do pescoço e nos contou, com frieza, que cravou a faca e pisoteou a cabeça da vítima”, disse. “E nos contou que no momento em que executava o crime, ficava com mais vontade de matar. Para mim, esse garoto sofre de algum transtorno mental”, comentou o delegado.

De acordo com o Biazon, N. confessou que pretendia continuar matando suas vítimas e que o próximo a morrer seria um adolescente de 15 anos, assediado por ele pela internet. “O plano não deu certo porque esclarecemos a morte de Igor”, contou o delegado.

Nos dois crimes que cometeu, o adolescente contou com ajuda de comparsas e usou facas para matar as suas vítimas. Na morte do empresário Waldiney Rocha, que na época namorava o menor, um rapaz de 18 anos foi preso por participar do crime. O empresário morreu com 16 facadas. Na morte de Igor, um outro adolescente, de 15 anos, confessou a participação e mostrou à polícia onde estava o corpo da vítima.

dica do Sergio Luiz SantAnna

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Polícia apreende adolescente acusado de matar homossexuais no interior de SP

1 Comentário

  1. Vagner disse:

    Que coisa tétrica!Tão jovem e com esse instinto assassino. Pessoas assim deveriam ser isoladas completamente do convívio social!Ele deve ter alguma tendência latente para odiar tanto assim os homossexuais! Mas os homossexuais deveriam buscar fugir das situações propícias às barbaridades,deixando de frequentar antros que só levam às relações promíscuas e perigosas com pessoas como esse rapaz. Culpam a homofobia como causa das mortes violentas , mas não é só esse ódio ao próximo o causador desses crimes hediondos envolvendo a opção sexual , mas também o estilo de vida perigoso como uma roleta russa que muitas pessoas resolvem vivenciar!!!

Deixe o seu comentário