La Vita

lavitaYago Licarião, no Retalhos e Frestas

Viver é um filme ruim sem trilha sonora. Não, não sou nem estou desacreditado da vida, tampouco quero desmerecê-la. É que grandes produções hollywoodianas e filmes estrangeiros excêntricos possuem algo em comum: sua capacidade de amplificação.

Dentro da película, mesmo cenas simples do cotidiano estupefazem com um bom ângulo e saturação. Já a nossa vida, se gravada, certamente não faria nenhum sucesso. Não bateríamos recordes de ingressos, tampouco teríamos indicações para Cannes. Mesmo filmes biográficos necessitam de boa direção e roteiro para poder funcionar. Gandhi e Mandela não viviam seus personagens vinteequatrohoraspordia.

Na vida real, não toca ‘don’t let me down’ quando estamos tristes, nem sapateamos na chuva após sair com um grande amor. Enquanto filmes flanqueiam em preto e branco, a vida corre pelo cinza.

Sou aficionado por cinema. Vivo o drama, conheço personagens, encosto a cabeça no travesseiro e continuo pensando em como elas seriam de verdade. Adoro idealizações, e as acho necessárias. Contudo, não sou imaturo ao ponto de acreditar em contos de fadas. Sei que minha história de amor não será tão perfeita quanto comédias românticas de sessão da tarde, e não vou enfrentar a morte, a minha ou de outrem, com um sorriso no rosto e fé inabalável.

Aceito ser um filme ruim e não comercial, desde que minhas cenas silenciosas façam sentido para alguém. A vida tangível é muito mais que frases de efeito e bons figurinos. Nosso final não precisa ser grandioso nem arrebatar o público. Temos caneta e papel, mas a beleza maior é poder construir um enredo em conjunto, onde cada um se intromete nas histórias alheias. Somos todos parte de um grande filme, com nossas narrações imperfeitas e repletas de intromissões.

Antes de comover multidões, almejo manter acesa a chama dos que estão ao meu redor. Mesmo com a fraca atuação, anseio compartilhar momentos bons e ruins ao lado de gente humana, e pouco importa se esqueçamos as falas . Sei que a crítica vai odiar, mas quem se importa?

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for La Vita

Deixe o seu comentário