‘A maior eclosão de compulsão gay está no movimento evangélico’, diz ex-ministro presbiteriano

O comediante Danilo Gentili (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

O comediante Danilo Gentili (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Renato Kramer, no F5

Danilo Gentili entrevistou no “The Noite” (SBT) desta segunda-feira (23) o ex-ministro presbiteriano Caio Fábio, hoje líder do Movimento Caminho da Graça.

Polêmico e altamente “sincericida”, Caio Fábio não deixou pedra sobre pedra em suas afirmações sobre o que viu durante a sua longa trajetória em mais de trinta anos de ministério. A entrevista foi longa. Aqui apenas alguns flashes para quem perdeu.

“Eu achava que a comunidade evangélica era alienada como era, era massa de manobra como era porque faltava instrução. Então passei 33 anos ensinando, dos luteranos aos neopentecostais. Criamos até a Associação Evangélica Brasileira pra ver se dava parâmetros de saúde mental para o pessoal, mas descobri que ninguém queria isso”, afirmou Caio Fábio.

“Isso desmonta o circo, a estrutura, a exploração”, continuou o ex-pastor, “instrução ajuda o povo a andar com as próprias pernas. Instrução liberta, tira as dependências desses gurus tiranos sobre a cabeça das pessoas, e isso eles não querem!”, acrescentou enfático, referindo-se a alguns líderes evangélicos. “[Edir] Macedo me abomina, esse povo todo me abomina porque passei a vida tirando as estruturas de poder que eles usam para manipular o povo”, concluiu.

Mas isso foi só o começo. Caio Fábio parecia querer desabafar em rede nacional todo um descontentamento com o que acontece muitas vezes por detrás dos cultos de algumas vertentes evangélicas. Danilo Gentili quis saber o que de mais abjeto o seu entrevistado teria observado nesse universo. “A capacidade que esse pessoal teve de literalmente tirar o cérebro das pessoas”, respondeu Caio Fábio.

“Os evangélicos são burros, é o que você tá falando?”, questionou Gentili. “Ficaram”, replicou Caio Fábio. “Qualquer um fica sob aquele rolo compressor” completou o entrevistado. E ainda comentou: “Eu fiz uma pesquisa sobre você e vi que você já passou por lá, você (Danilo) sabe o poder que aquilo ali tem de fazer mentes tornarem-se amebas”, concluiu com firmeza.

Caio Fábio falou também, entre tantas outras coisas, de como pode ser mal interpretado o “Livro Sagrado” e a sua visão do Velho e do Novo Testamento (“A Bíblia é a mãe de todas as heresias, se você quiser – a Bíblia diz sobre a Bíblia que parte dela já caducou”, afirmou) e desmascarou as “possessões demoníacas” apresentadas em alguns cultos: “Aquilo ali é sugestão, é psiquismo demoníaco aprendido pela cultura neopentecostal – na maioria das vezes é forjamento, têm até possessos contratados”, delatou Caio Fábio.

“Eles me chamam de herege porque eu digo que essas coisas caducaram, porque justamente se caducaram o dízimo já era e eles vivem disso!”, continua Caio Fábio em sua metralhadora giratória. Até que o apresentador lhe coloca numa espécie de ‘saia justa’. “Como você acha que Jesus veria hoje o movimento gay?”, perguntou Gentili de supetão.

Mas Caio Fábio não se fez de rogado, nem tampouco titubeou em responder: “Do jeito que Ele viu nos dias dEle. Nos dias dele tava cheio de gay, o que que Ele fez?!”, devolveu a pergunta para Danilo. “Não sei. O que que Ele fez?”, quis saber o apresentador. “Nada”, respondeu tão simplesmente Caio Fábio. Mas desenvolveu melhor.

“Tava cheio de puta, o que Ele fez? Nada. Tava cheio de canalha, calhorda pra todos os lados, o que Ele fez? Nada. Ele acolheu quem o procurou, não perguntou coisa nenhuma. Isso não estava na pauta de Jesus nem está”, argumentou. “Essa pauta aí é uma pauta moral, é uma pauta ideológica, é uma pauta da fragilidade da religião que introjeta culpa nas pessoas e exacerba o maior movimento de compulsão psicológica justamente para aquilo que eles proíbem”.

E então foi que veio talvez a sua informação mais pitoresca da noite: “Você pegue uma estatística e vá ver onde proporcionalmente nesse país existe a maior eclosão de compulsão gay…não é no Corinthians”, ironizou. “É no São Paulo (FC)?!?”, ajuntou Danilo. “No São Paulo chega perto”, brincou Caio Fábio, “mas nada alcança o movimento evangélico”, concluiu. “Tem muito veado lá?”, perguntou Gentili. “Claro! Uma sociedade que só introjeta pecado vai produzir só tarados! Não tem jeito dos evangélicos melhorarem enquanto eles piorarem o mundo para todos”, sentenciou o líder do Movimento Caminho da Graça.

dica do Moisés Gomes

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for ‘A maior eclosão de compulsão gay está no movimento evangélico’, diz ex-ministro presbiteriano

Deixe o seu comentário