Por que beijamos?

beijo

Publicado na Revista Galileu

O beijo é um gesto comum a todas as culturas e que parece ser um hábito há muito tempo – há registros datando de cerca de 2.500 anos antes de Cristo. Além disso, a pessoa média passa mais de 20 mil minutos beijando durante toda a vida. Deve haver, portanto, um motivo biológico e evolutivo pelo qual beijar é prazeroso. O vídeo aqui embaixo – em inglês, mas com legendas que você pode traduzir automaticamente – explica um pouco disso:

De acordo com o vídeo, beijar diminui o colesterol ruim e a sensação de stress. Mas esse não é o principal motivo: cientistas acreditam que beijar vem do hábito de mastigar e dar comida aos filhotes com a boca. Você logo imaginou passarinhos, mas algumas espécies de primatas também alimentam a cria assim, e se você parar pra pensar faz todo o sentido antes da existência de papinhas, processadores de alimentos e outras ferramentas que ‘mastigam’ a comida para o bebê.

A troca de saliva também é benéfica porque transmite patógenos – bactérias que podem causar doenças -, o que estimula a produção de anticorpos no bebê e fortalece o sistema imunológico dele.

As membranas da boca também são capazes de absorver hormônios como a testosterona, ou seja, o beijo – do ponto de vista evolutivo – pode ser uma maneira de avaliar o potencial de fertilidade de um parceiro. Além disso, a saúde bocal e dentária são um indicativo bom da saúde geral do indivíduo, outro fator que a gente inconscientemente leva em conta na hora de escolher um parceiro.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Por que beijamos?

Deixe o seu comentário