Pais exaustos procuram ‘encantadoras’ para organizar sono do bebê

 

A ‘encantadora’ Lúcia com a pequena Pietra, filha de Michelle (Foto: Arquivo Pessoal)

A ‘encantadora’ Lúcia com a pequena Pietra, filha de Michelle (Foto: Arquivo Pessoal)

Publicado na Folha de S. Paulo

Quem é que paga para outra pessoa ensinar um bebê de poucos meses (ou dias) de vida a aprender a dormir? Resposta: mães e pais exaustos. A privação do sono combinada ao cansaço e à falta de tempo para executar tarefas simples, como tomar banho e almoçar, faz com que muitos se desesperem e se sintam despreparados para o novo ritmo de vida.

E é aí que entra em ação um novo tipo de profissional: a consultora de sono, também apelidada de ‘encantadora de bebês’ –uma referência ao best seller “Segredos de Uma Encantadora de Bebês”, de Tracy Hogg.

A diretora de marketing Michelle Guimarães, 36, já tinha lido o livro antes de procurar por uma ‘encantadora de bebês’. Mas não conseguiu aplicar as regras do livro ao sono da filha Pietra, hoje com 2 anos.

“Eu moro numa fazenda e não tinha ninguém por perto para me ajudar neste início. Ela tinha dificuldade para dormir, só dormia no colo. Estava tão cansada e desesperada que fui atrás de uma ‘encantadora de bebês”, conta Michelle.

Mas até mesmo aquelas que possuem mãe ou sogra por perto recorrem a esse tipo de consultoria. A gerente comercial Flávia, 38, que pede para manter seu sobrenome em sigilo, contratou uma ‘encantadora de bebês’, mas não contou parar ninguém da família. Esse é um segredo dela e do marido.

“Não quis contar, pois isso poderia magoar as avós, que acham que podem nos ajudar a cuidar do bebê, mas às vezes, mesmo sem querer, acabam atrapalhando e ensinando maus hábitos. E também não queria comparações entre minha filha e uma sobrinha.”

Flávia diz que se sentia sem tempo para cuidar da própria rotina, pois a filha parecia querer ficar no colo o tempo todo. “Eu jantava com ela no colo, tomava café com ela no colo. Ela não queria ficar sozinho no berço, na cadeirinha nem no carrinho.”

A professora Suzana Coelho, 39, também passou pela mesma situação com a filha Júlia, hoje com 4 meses. “Idealizava que seria algo fácil. Mas mesmo sendo uma criança muito amada e desejada, passei por momentos muito estressantes.”

O que mais a afligia era o fato de a filha não sair do peito e não dormir nada durante o dia nem à noite. E a introdução de uma rotina permitiu que a mãe pudesse voltar a organizar o próprio dia. “Sabendo o horário em que ela iria comer e dormir, também pude me organizar e voltar a ter tempo para almoçar com calma, jantar com o marido.”

As três mães buscaram na internet a solução para o problema que lhes tirava a paz naquela fase da maternidade. Elas encontraram o site da enfermeira Lúcia Wanderley, que trabalha com crianças há mais de 30 anos, e fez um curso com a própria Tracy Hogg, a mãe da técnica de encantar bebês.

Segundo as mães, a técnica de Lúcia consiste basicamente em criar uma rotina para os bebês: eles passam a ter horário para acordar, mamar, tirar soneca, passear e dormir à noite. Mas isso o livro também ensina. O que muda então?

Flávia diz que Lúcia parece fazer mágica com os bebês. “Ela transmite uma calma, uma segurança, que os acalma. Parece que eles fazem o que ela quer.”

Para Michelle, o segredo da ‘encantadora’ é saber acalmar os pais. “Ela nos faz ver que nosso filho não é diferente de ninguém, que chorar é normal e que o problema não é com o bebê.”

Suzana revela uma das dicas, que pode ser questionada por alguns pediatras, como a introdução de uma última mamada noturna reforçada. “A minha pediatra até resistiu, mas testei e minha filha passou a dormir melhor depois.”

E o que diz a própria ‘encantadora’? “Converso com o bebê, ensino a eles uma rotina. As crianças passam a ter horário para dormir, brincar, passear e comer”, diz Lúcia.

Segundo ela, quanto antes o treinamento começar, melhor será para a família. “É possível ensinar a criança a dormir logo nos primeiros dias de vida. Quanto mais tarde, mais difícil, pois o bebê já terá incorporado alguns vícios.”

CUSTO

Não é qualquer mãe que pode bancar uma ‘encantadora de bebês’. Três dias de consultoria podem custar de R$ 2.000 a R$ 5.000, dependendo da profissional, além do gasto com o deslocamento dela até sua casa.

As três mães ouvidas pelo Maternar disseram que o investimento valeu a pena, que fariam de novo e indicariam para outra pessoa.

Lúcia diz que presta esse serviço gratuitamente para mães carentes de sua cidade, no interior do Rio. “Tem mães que não podem pagar a passagem de avião. Se for perto, vou de ônibus. Algumas usam milhas.”

Mariana Zanotto, outra ‘encantadora de bebês’, diz oferecer pacotes para os pais com preços variáveis. O custo depende da quantidade de dias e da exclusividade. No serviço de doula pós-parto, por exemplo, ela fica passa 24 horas por dia ao lado das novas mães.

E COMIGO?

Eu li o livro da ‘encantadora de bebês’ quando fiquei grávida e também não consegui aplicar a técnica ao meu dia-a-dia. Tentei criar rotinas e até afugentei visitas que chegavam no horário que eu queria estipular para o sono e soneca.

Mas não deu certo. Em parte pela minha inexperiência. A qualquer resmungada lá ia eu acudir o bebê. Em cada mamada, mesmo as noturnas, trocava a fralda com medo de a criança ficar assada _livros e coachs ensinam que é normal o bebê ter pequenos despertares e que devemos deixá-los voltarem sozinhos a dormir; e que se a criança estiver de fralda noturna e não tiver feito n° 2, não é necessário trocá-la à noite.

Outro problema foi não conseguir lidar com o choro do filho. Seguidores do método ‘Nana Nenê’ pregam que devemos deixar o bebê no berço sozinho para que ele aprenda a dormir. E que se ele chorar, devemos de tempos em tempos dar uma passadinha no quarto para mostrar que estamos presentes e lembrá-lo que chegou a hora de dormir.

Resultado dessa falta de estratégia? Meu filho tem mais de 2 anos e ainda hoje acorda no meio da madrugada para mamar.

Mas aos poucos comecei a cortar essa mamada da madrugada. E depois de conversar com a Mariana passei a adiantar a hora de levá-lo para cama. Coincidência ou não, parece que ele passou a dormir mais tempo _isso faz menos de uma semana e ainda não posso comemorar os resultados como efetivos.

A meu favor acabo de descobrir um novo livro: “Soluções Para Noites Sem Choro”, que parece se encaixar a mães que falharam com o “Nana Nenê” e “Segredos de Uma Encantadora de Bebês”. Espero ter tempo à noite para lê-lo e contar depois se funcionou.

E sim, já ouvi muita gente chamar mães que reclamam da falta de sono de folgadas. Que se pretendiam ser mães, deveriam antes saber que a tarefa é trabalhosa. Não gostei de ser julgada por isso e acho que cada um sabe da própria necessidade. Bons sonhos!

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Pais exaustos procuram ‘encantadoras’ para organizar sono do bebê

1 Comentário

  1. Carlos disse:

    Muito boa reportagem.
    Realmente o bebê precisa criar uma rotina para ter uma relação saudável com os pais.
    Os ensinamos da Tracy Hogg ensinam exatamente como fazer através dos seus excelentes livros.
    Recentemente escrevi um post sobre a autora americana:
    https://meufilhonasceu.com/relacao-saudavel-bebe/

    Nele falo bastante sobre o método e a importância de uma rotina.

    Obrigado.

Deixe o seu comentário