Sentar-se é o novo fumar (um vício não muito saudável)

1410342968_595301_1410357850_noticia_normal

 

Publicado no El País

Não fumo, não bebo, sigo a dieta mediterrânea… Mas, você de mexe? Se o seu horário de trabalho o deixa exausto para realizar qualquer tipo de exercício físico de forma rotineira, saiba que são cada vez mais as pessoas que decidiram se manter em forma no escritório. Como? Graças às iniciativas de algumas empresas pioneiras que instalam academias para seus empregados, fornecem bolas para sentar-se ou, inclusive, favorecem reuniões em esteiras para caminhar. Lembra-se de quando proibiram fumar no trabalho? Então, para o sedentarismo não sopram ventos melhores.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou em 2013 que o sedentarismo é um dos quatro fatores de maior risco para a saúde. Estima que aproximadamente 3,2 milhões de mortes por ano se devam à inatividade física. A European Heart Network (EHN) elaborou um ranking dos países europeus com o maior índice de sedentarismo, e a Espanha ocupa o quarto posto. 42 % da população maior de 18 anos confessa “viver sentada” toda a semana, frente a 6 % na Suécia e 7 % na Finlândia.

Com a evidência científica acumulada, são muitas as iniciativas que estão em curso para tentar facilitar a prática de atividades para a população. Por isso, há anos, do outro lado do Atlântico foram desenvolvidos programas para levar o exercício físico até o escritório. Inclusive foram desenhadas cadeiras especiais que permitem exercitar a musculatura enquanto se trabalha. É o caso da Officegym, que distribui um sistema inovador que permite realizar exercícios para fortalecer o tônus muscular durante um momento de descanso no lugar de trabalho.

Giovanni Bonotto, da empresa, esclarece: “Todos nós passamos muitas horas sentados no escritório ou em casa. Nossos dispositivos, uma espécie de correias que se adaptam às cadeiras de trabalho, nos permitem, durante pequenos intervalos de descanso, realizar atividade física, algo imprescindível para manter nosso corpo em forma, garantir uma boa circulação sanguínea e, inclusive, um pouco de energia extra para sermos mais produtivos”.

Mesmo que dentro das fronteiras espanholas o conceito de mimar a saúde dos trabalhadores não esteja ainda tão difundido como nos EUA e no Canadá, já existem iniciativas pioneiras que estão dando bons frutos. É o caso da CET 10 com seu programa Wellnessjob. Sua diretora, Sandra Carballo, afirma: “Montar a academia no escritório é algo relativamente novo no país, mas muito consolidado nos Estados Unidos e em outros países da Europa”. Surge da necessidade cada vez maior, segundo afirma, de cuidar do trabalhador para reduzir as faltas ao trabalho e aumentar a produtividade. “O lugar de trabalho é onde passamos a maior parte do nosso tempo e as empresas se tornam muitas vezes o lugar mais idôneo para desenvolver programas de exercício físico (fora da jornada de trabalho se dispõe de pouco tempo livre para ir à academia). Além disso, é um valor agregado para os empregados e um incentivo de que dispõem as empresas para oferecer mais benefícios sociais aos trabalhadores e reter talentos, com o plus de conseguir funcionários mais motivados e melhorar o clima no trabalho”, explica. Na Espanha, a companhia farmacêutica Almirall é uma das empresas que oferece esse serviço aos empregados.

Sente-se, mas sobre uma bola gigante

Existem medidas mais simples, como a introdução de uma bola Fitball (bola de elastômero de grande diâmetro que se usa na no pilates, por exemplo), que permite trabalhar a estabilidade do centro do corpo. “Ao ser uma superfície instável, requer que o usuário mantenha a musculatura ativa em todo momento. É um trabalho mais funcional, já que uma das funções mais importantes dos músculos abdominais e da região inferior das costas (lombares) é estabilizar o corpo. Sentar-se sobre uma fitball obriga a manter as costas mais erguidas e em uma posição mais correta”, afirma Sandra Carballo.

Outras iniciativas vão mais longe, como a introduzida pela companhia Salo, em Minneapolis (EUA), onde foram instaladas, em uma sala de conferências, esteiras para caminhadas adaptadas com uma escrivaninha e seus respectivos computadores, que convidam os participantes da reunião a caminhar enquanto trabalham. Para os intervalos, dispõem de várias mesas de pingue-pongue.

María Giner, personal trainer, jornalista e promotora de iniciativas para exercícios no trabalho, defende: “O ideal é começar pelas coisas mais simples. Não tomar o elevador na empresa, descer do ônibus uma parada antes do lugar de trabalho e ser consciente de que o corpo humano não foi feito para a inatividade”. Lembra, de fato, que devem ser feitas pausas a cada duas horas para levantar-se da cadeira. São gestos simples, como ter uma bola de espuma de borracha que possamos apertar entre as coxas enquanto estamos trabalhando. “Isso tem grande utilidade para a musculatura das pernas e o fortalecimento dos ligamentos do joelho, assim como para revigorar o assoalho pélvico”, diz.

Quando não se pode trabalhar e fazer certos exercícios ao mesmo tempo, a especialista incentiva que se façam manobras para aliviar nossa tensão corporal, como rotações circulares do pescoço, “sem nunca deixar a cabeça cair para trás”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Sentar-se é o novo fumar (um vício não muito saudável)

Deixe o seu comentário