Fidelix diz ser vítima de ‘conspiração’ e recusa pedir desculpas a gays

levy2

Publicado no G1

O candidato à Presidência da República pelo PRTB, Levy Fidelix, afirmou ao G1 nesta terça-feira (30) que não pedirá desculpas à população LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros] por declarações feitas durante debate entre presidenciáveis no último domingo (28). Ele disse ser “vítima de conspiração”.

Durante o debate, após pergunta da presidenciável do PSOL, Luciana Genro, sobre a união entre pessoas do mesmo sexo, Fidelix disse que o crescimento do número de casamentos homoafetivos pode reduzir o tamanho da população brasileira e sugeriu que homossexuais precisam de “ajuda psicológica”.
“Se eu não fiz nada, por que tenho que pedir desculpas a alguém? Eu não ofendi ninguém. Se eles fizerem esse movimento [Beijaço Gay, em São Paulo] eu vou ter pena, porque eles estarão sendo induzidos pela molecagem da senhora Luciana Genro”, afirmou o presidenciável.

“Eu não falo contra homossexuais, eu falo em defesa do homem e da mulher. Não sou contra a união homoafetiva. Não sou homofóbico e nunca farei isso. Nunca ataquei ninguém. Eu só disse que é eles lá e eu, cá”, completou.

No debate de domingo, ao questionar Fidelix, Luciana Genro relacionou a violência contra a população LGBT com o reconhecimento de famílias oriundas de uniões homoafetivas. “O Brasil é campeão de morte da comunidade LGBT. Por que que as pessoas que defendem tanto a família se recusam a reconhecer como família um casal do mesmo sexo?”, indagou a presidenciável do PSOL ao adversário do PRTB.

“Jogo pesado agora”, ironizou Levy Fidelix. “Tenho 62 anos e, pelo que vi na vida, dois iguais não fazem filho. E digo mais: me desculpe, mas aparelho excretor não reproduz. É feio dizer isso mas não podemos jamais deixar esses que aí estão achacando a gente no dia a dia, querendo escorar essa minoria à maioria do povo brasileiro”, enfatizou.

“Vítima de conspiração’

Ao G1, o candidato afirmou que seu passado mostra que “jamais” teve atitudes contra gays e ressaltou que em sua fala no debate na TV não incitou a violência ou incentivou o assassinato. Ele disse, ainda, ser vítima de “conspiração” por ser um homem “centrado na família”, e que a fala no debate entre presidenciáveis foi natural, por citar o que está na Constituição. O candidato afirmou que há “armação” contra ele.
“Meu sentido e minha consciência me permitem dizer que jamais fui homofóbico. Minha opinião é a democracia. Eu tenho minhas convicções. Sou hétero e se não aceitarem minha opinião, eles estarão sendo heterofóbicos. Cada um se expressa como quer e faz do seu corpo o que deseja. E os contrários devem conviver juntos numa nação”, disse.

O presidenciável do PRTB afirmou ainda que, se eleito, irá proteger a todos que estiverem sob o Estado brasileiro, sem distinção. O candidato disse também se considerar um homem “tradicional, conservador e religioso, mas, acima disso, estadista”.
“Esse assunto não iria ter essa amplitude toda se ela [Luciana Genro], logo que terminou o programa, não ficasse fazendo passeata contra mim. Ninguém nunca teve uma atitude dessa contra mim. Sou um senhor de 62 anos e nunca tive uma ação contra mim, nunca precisei entrar numa delegacia para me explicar. Agora, imagina que nesse momento da vida eu estou tendo um dessabor como esse”, disse.

Segurança da PF

Conforme o Decreto nº 6.381/2008, os candidatos à Presidência da República terão direito a segurança pessoal, exercida por agentes da Polícia Federal, a partir da homologação da candidatura em convenção partidária. Questionado sobre se pedirá a segurança, Levy Fidelix disse considerar que a medida não é necessária.
Segundo o candidato, “não faz sentido” pedir a segurança à PF, pois é um homem livre e tem a consciência tranquila. “Não há motivo para tal atitude e as pessoas são livres. Eu sou homem, tenho minha consciência tranquila dos meus atos e eles estão perfeitamente dentro da lei. Minhas práticas e palavras mostram isso”, concluiu.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Fidelix diz ser vítima de ‘conspiração’ e recusa pedir desculpas a gays

Deixe o seu comentário