O avião da TAM que não caiu na Paulista e outras profecias que deram errado

Uma lista que nos deixou com a gostosa sensação do dever cumprido

Publicado na Época

Consta nos astros, nos signos, nos búzios: essa história de prever o futuro é coisa que faz muita gente meter os pés pelas mãos. Na manhã desta quarta-feira (26), um avião da TAM deixou de cair na Avenida Paulista em São Paulo. Segundo o vidente Jucelino Nóbrega da Luz, o voo JJ3720 só não despencou por que a TAM tomou as devidas providências a tempo. Mudou o número do voo, evitando a tragédia.

aviao

O incidente rendeu todo tipo de piadas. Houve até condomínio disparando comunicados para alertar os moradores do perigo iminente. Apenas por precaução, claro. Como os astros, as marés e o destino são entes meio volúveis, não dá para dizer que Jucelino errou. Foi a vida que tomou outro rumo. Né, Jucelino?

Para comemorar que tudo terminou bem, reunimos algumas previsões do passado que o destino fez o capricho de contrariar:

Onda, onda. Olha onda

Jucelino abre a lista, claro. Em 2004, ele sonhou que uma imensa onda destruiria a cidade de Fortaleza, Ceará. A previsão tinha ares hollywoodianos, porque desgraça pouca é bobagem. Um bloco de 572 km² se desprenderia da ilha de La Palma. O impacto criaria perturbações no oceano e o tsunami sobre Fortaleza seria inevitável. Tudo marcado para algum momento em 2013. 2013 veio e foi. Fortaleza permanece. Caprichos da maré.

ondsa_onda_olha_a_onda

A vidente eleitoreira

Mãe Dinah, morta no começo deste ano, ficou famosa por aparecer frequentemente na TV dando palpite sobre o futuro dos famosos e dos presidenciáveis. Tinha tino: segundo a lenda, previu a morte dos Mamonas Assassinas e sabia a data certa e inevitável em que deixaria este mundo. Para poucos, convenhamos. Dinah cometeu um sério deslize em 1995. Candidata à vereadora pela cidade de São Paulo, perdeu. Mercúrio devia estar retrógrado. Do contrário, ela preveria a própria derrota para evitar o desgaste da disputa.

mae-dinah

Brasil campeão da Copa

O vidente Roberio de Ogum tem tradição em dar palpites sobre futebol. Perdoável: ele é brasileiro, palpitar é esporte nacional. Em 1999, jurou de pés juntos que o Palmeiras seria campeão do mundial de times em Tóquio. A vitória foi do Manchester.
Agora, em 2014, o rapaz voltou à carga. Apostou que a seleção venceria a Copa do Mundo. Copa jogada em casa, Roberio estava seguro. Achamos aqui que, das duas, uma: ou ele errou feio, errou rude; ou Roberio se recusou a crer no 7 a 1 que suas visões indicavam. Como culpá-lo?

david_luiz_triste

E o fim do mundo? Por onde anda o fim do mundo?

Muita gente já deu palpite. Muita gente já errou. Destacamos alguns casos:

Fim do mundo 1 – William Miller era um fazendeira norte-americano e profundo estudioso da Bíblia. Certo dia, conclui que o mundo acabaria em algum momento entre 1843 e 1844. O Bombou atesta, com alguma segurança, que Miller errou. Mesmo assim, obteve certo sucesso: seus seguidores criaram a Igreja Adventista, que existe ainda hoje. Os resultados não assustam (e, para algumas pessoas, inclusive, fazem bem).

Fim do mundo 2 – A passagem do milênio deixou o mundo em polvorosa. Muita gente achou que a mudança no calendário traria lá suas complicações. No mundo da tecnologia, o monstro da vez era o Bug do Milênio: temia-se que se os computadores em todo o planeta não fossem devidamente calibrados, eles confundiriam 2000 com 1900. Isso traria caos para o tráfego aéreo, derrubaria satélites, deixaria cidades sem luz e outras mil calamidades. Por fim, o bug causou poucas falhas. Deu tudo certo.

gif_computador

Fim do Mundo 3 – O cometa Halley aparece uma vez a cada 76 anos. É uma visita que chega botando banca. Em 1910, causou medo: as pessoas achavam que os gases de sua cauda eram venenosos e dizimariam a humanidade. Em 1986, quando voltou depois de longa ausência, teve gente dizendo que ele atingiria a Terra em cheio, causando destruição. Halley não liga para os detratores. Não fez nada de errado até hoje.

Fim do mundo 4 – Segundo cálculos que jamais me dei ao trabalho de compreender, o calendário Maia deixa de marcar a passagem do tempo em 2012. Os maias já nem devem se interessar por esse assunto. Mesmo assim, o medo do fim do mundo em 2012 inspirou ações das mais variadas. Houve gente se escondendo em retiro espiritual para passar o dia 21 de dezembro em paz consigo mesmo. Houve gente que viu nisso uma oportunidade de negócio e gravou um filme horrível estrelado por John Cusack. O mundo não acabou e o filme continua a ser reprisado insistentemente. Essa sim, uma tragédia.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for O avião da TAM que não caiu na Paulista e outras profecias que deram errado

Deixe o seu comentário