‘Preconceito fica em terra’, diz aérea após crítica a físico de comissárias

Cliente reclamou com empresa que aeromoças são ‘baixas e gordinhas’.
Post gerou indignação em rede social; Aerolíneas Argentinas rebateu.

Em post, cliente critica aparência de comissárias de bordo de companhia argentina e empresa responde: 'Preconceito fica em terra' (foto: Reprodução/Facebook/Aerolineas Argentinas)

Em post, cliente critica aparência de comissárias de bordo de companhia argentina e empresa responde: ‘Preconceito fica em terra’ (foto: Reprodução/Facebook/Aerolineas Argentinas)

Publicado no G1

A reclamação de um cliente contra uma companhia aérea na internet gerou indignação entre internautas na Argentina.

O usuário, identificado como Andres Horacio Pignataro, postou nesta quarta-feira (21) uma queixa contra o “baixo nível das aeromoças” no perfil da companhia Aerolíneas Argentinas no Facebook. “Antigamente eram altas, esbeltas e impunham respeito. Agora colocam todas as garotas baixas e gordinhas, e deixa muito a desejar a aparência no voo”, escreveu ele.

Em pouco mais de duas horas, o post tinha recebido mais de 360 comentários — muitos deles críticos à mensagem. Em seguida, ele saiu do ar.

A resposta da companhia aérea recebeu mais de 600 curtidas. A empresa listou os requisitos para ser comissário de bordo e arrematou com a frase: “Os preconceitos não saem para voar e os deixamos em terra”.

Veja a resposta completa:

“Olá, Andres. Estes são os requisitos para ser tripulante de cabine:
– Maior de 18 anos.
– Altura: Mulheres 1,63 a 1,75 – Homens: 1,70 a 1,85
– Nacionalidade argentina
– Estudo secundário completo
– Licença de TCP [Tripulantes para Cabine de Passageiros]
– Domínio do idioma inglês
– Saber nadar.
Os preconceitos não saem para voar e os deixamos em terra.
Saudações.”

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for ‘Preconceito fica em terra’, diz aérea após crítica a físico de comissárias

Deixe o seu comentário