Força e leveza na caminhada contra o câncer

 

2202cd0410

No Instagram, Maria Camila divide os momentos na quimioterapia, que se transformaram em pretexto para reunir amigos

 

 

Publicado em O Povo

Os caminhos de uma vida impõem curvas que podem parecer bem espinhosas. Foi assim, há três meses, quando a psicóloga Maria Camila Gabriele, 26, descobriu-se com câncer de mama, apesar do improvável. Não havia muito tempo, exames para uma cirurgia estética desenhavam a saúde sem sustos. Estava bem, mantinha alimentação saudável e frequentava academia pelo menos seis vezes por semana. Em uma dessas idas, percebeu um nódulo crescer no peito. Era o primeiro espinho.

A semana do diagnóstico emendou incertezas. Entre o benigno e o maligno, a queda ou não do cabelo, a retirada ou a permanência do seio, Maria Camila se propôs o desafio de passar por tudo aquilo “da melhor maneira possível”. E, com esse espírito, atualiza a sua conta no Instagram – rede social de compartilhamento de fotos – com os passos do tratamento.

Por lá, ela divide os momentos vividos nas sessões semanais de quimioterapia, que, na verdade, se transformaram em pretexto para reunir amigos em orações e sorrisos. A elas, Maria Camila emprestou um novo nome, com menor dureza da realidade. Viraram sessões de “quimiofolia”, todas compartilhadas em boas vibrações.

“Começou na segunda sessão, quando vários amigos meus apareceram de surpresa. Todos conversamos, rimos e aquilo acabou fazendo muita diferença. Nem senti as três horas de quimioterapia passarem”. No Instagram, ela também partilha as mudanças impostas pela doença. Os exames, os remédios e os sucos funcionais viram fotos e ganham palavras de esperança. Ela não desiste da leveza.

“Quando recebi a notícia, eu vi a minha mãe – que é extremamente firme – com medo. Entendi que precisava ser mais forte que o tumor”. E tem sido. O tratamento já ultrapassa 11 semanas, e os exames preliminares indicam a redução do nódulo. O caminho até a cura, porém, ainda exige outras etapas.

Para seguir essa trajetória, Maria Camila renova as energias em comentários de conhecidos e desconhecidos que povoam suas fotos. “Dá muita força ver alguém que não me conhece gastar o tempo para dizer que está orando por mim. A verdadeira caridade é isto: você se doar, doar seu tempo, seu carinho, seu melhor pensamento para outra pessoa sem cobrança”.

O número de seguidores no Instagram cresceu após o diagnóstico. Hoje, 3.403 pessoas (marca até o fechamento desta matéria) acompanham suas postagens. Isso reflete uma repercussão jamais esperada por ela. “A primeira vez que coloquei uma foto falando sobre a minha doença foi com receio de que os conhecidos se impressionassem quando me vissem careca. Isso geraria aquele olhar de piedade, que me incomoda. Não quero parar minha vida por câncer nenhum”.

Para alívio de Maria Camila, os fios não caíram ainda. Segundo ela, os cuidados como sempre lavar a cabeça com água bem gelada (para não dilatar os poros) e nunca pentear os cabelos podem ser os responsáveis pela proeza. Devagar, ela avança para a cura. E faz planos para quando chegar lá: quer usar a formação em psicologia para ajudar outras pessoas a enfrentar o câncer tão bem quanto ela. A vontade é de desanuviar a leveza encoberta pelo emaranhado de dificuldades.

Serviço

Para acompanhar

as postagens de Maria Camila Gabriele, acesse:

instagram.com/mariacamilaig

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Força e leveza na caminhada contra o câncer

Deixe o seu comentário