Brasileiro foi executado na Indonésia sem ninguém para consolá-lo, diz padre

Em vídeo, Marco Archer se mostrava esperançoso de escapar da pena de morte - Reprodução

Em vídeo, Marco Archer se mostrava esperançoso de escapar da pena de morte – Reprodução

Publicado em O Globo

O brasileiro Marco Archer, fuzilado na Indonésia no mês passado por ter sido preso com cocaína em 2003, não teve o acompanhamento de um padre nos últimos momentos de vida, como acontece com católicos que são condenados à morte no país. Segundo o padre Charles Burrows, que deveria ter confortado o brasileiro, Archer teve que ser arrastado de sua cela chorando, pedindo ajuda, e não recebeu a extrema-unção.

– Ele chorou o tempo todo até os seus últimos minutos.

Ainda de acordo com o relato do padre ao grupo de mídia australiano “Fairfex Media”, reproduzida no jornal The Sidney Morning Herald, os guardas foram muito educados, mas por causa de uma confusão ele não teve permissão de acompanhar o brasileiro.

– Normalmente, há um momento em que um sacerdote espiritual vai para a frente para consolá-los. Ninguém consolou Marco.

PUBLICIDADE

A Indonésia pune com pena de morte o tráfico de drogas. Archer foi o primeiro brasileiro a ser sentenciado à morte no exterior. Ele foi fuzilado em um campo aberto próximo à penitenciária em Cilacap, na Ilha de Java, a 400 quilômetros de Jacarta. Nenhum civil, nem mesmo familiares dos condenados, podem acompanhar a execução.

A sexta-feira, como uma forma de retaliação às negativas do presidente da Indonésia, Joko Widodo, em conceder clemência ao brasileiro Marco Archer, executado em janeiro por tráfico de drogas, Dilma se recusou a receber as credenciais do embaixador do país para começar a trabalhar no Brasil. A falta de uma resposta sobre o caso de Rodrigo Gularte, outro brasileiro na fila do corredor da morte, também teria motivado a atitude da presidente.

A recusa do governo brasileiro fez com que o Ministério das Relações Exteriores da Indonésia chamasse, no sábado, o embaixador do Brasil em Jacarta, Paulo Soares, para entregar uma nota oficial de protesto. No mesmo dia do episódio, a Indonésia chamou o do embaixador do país no Brasil, Toto Ryanto, de volta.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Brasileiro foi executado na Indonésia sem ninguém para consolá-lo, diz padre

Deixe o seu comentário