6 produtos de banheiro que você provavelmente tem, mas que não funcionam

publicado no Hypescience

Além de shampoo e escova de dente, é provável que você também tenha produtos como cremes e sabonetes especiais no seu banheiro. Existem tantas opções no mercado cosmético e higiênico que nem sabemos qual escolher. O problema é muitas delas são inúteis (o que significa que você gasta dinheiro à toa).

6. Cremes de limpeza contra a acne podem piorar a situação

Para alguns de nós, a adolescência consistiu em acordar todas as manhãs parecendo que ficou a noite anterior inteira com um saco cheio de mosquitos na cabeça. Felizmente, há toda uma prateleira de sabonetes e cremes de limpeza contra a acne no mercado, não é mesmo?

Se adiantasse alguma coisa. A maior parte do processo da acne ocorre debaixo de sua pele, onde esses produtos não podem sequer chegar. Na verdade, lavar seu rosto de forma agressiva com produtos de limpeza fortes pode agravar a situação por secar sua pele e irritar a parte do seu corpo que menos precisa de toque nesse momento.

A maioria dos sabonetes ainda contém uma substância química chamada lauril sulfato de sódio (ou seu irmão gêmeo também do mal). Esse agente espumoso e barato é capaz de tirar a oleosidade da sua pele, o que soa como uma coisa boa, mas não é. Isso porque tal óleo é necessário para a umidade da pele, e a protege.

Se você tem um problema grave de acne, é melhor ver um médico, porque talvez você precise de antibióticos. Só assim você vai tratar esse incômodo e evitar cicatrizes. De qualquer forma, em vez de lixar seu rosto com produtos abrasivos, basta lavá-lo no máximo três vezes por dia com um sabonete suave (de preferência sem lauril sulfato de sódio) ou água morna.

produtos-banheiro-5-838x559

5. Bochechos com antissépticos não dão bom hálito

A maioria dos antissépticos bucais contém álcool. E isso certamente não é uma coisa boa, como qualquer pessoa que acordou com um hálito de ressaca sabe. Há uma razão pela qual o fedor tende a coincidir com o consumo de álcool. O álcool é realmente bom em ressecar a boca, e saliva é uma das melhores defesas do seu corpo contra o mau hálito.
Você pode pensar que, como bactérias são responsáveis por esse cheiro ruim, e o álcool é bom o suficiente para desinfetar uma ferida, ele deve funcionar para limpar a sua boca. Só que não. A única razão pela qual temos álcool nesses produtos é porque seus principais ingredientes são óleos como mentol e eucaliptol. Eles se separariam se não fosse o álcool para mantê-los misturados. E boa sorte em fazer um bochecho com óleos em camadas na boca sem engasgar ou vomitar.

Em outras palavras, o álcool dos antissépticos bucais não tem a intenção de matar bactérias, apesar de qualquer propaganda. As empresas dependem de sua percepção de que a sensação de queimação e agonia na boca se traduz em melhor hálito. Mesmo que você sinta que ele está mais fresco logo depois do bochecho, em menos de duas horas o mau cheiro estará de volta, porque as bactérias se aproveitaram de sua boca seca em uma doce vingança.

Ou seja, abandone essa porcaria. Prefira escovar a língua, usar fio dental e beber muita água para que sua boca fique hidratada. Se quiser ter um antisséptico, escolha um que não seja à base de álcool.

3. Cremes antienvelhecimento aumentam as chances de câncer de pele

Existem apenas duas maneiras infalíveis de combater o processo de envelhecimento: máquinas do tempo e morte. Mas isso não impede que toda empresa de cosméticos do mundo encha drogarias e mercados com cremes e mais cremes antienvelhecimento, antirrugas e anti-qualquer-coisa.

Muitos desses cremes têm compostos químicos chamados de alfa-hidroxi-ácidos (AHAS), que trabalham penetrando e esfoliando a camada superior da pele. Assim, as células velhas são eliminadas e você fica com um rosto de bebê brilhante (de acordo com a propaganda, não com a realidade).

Só que, ao queimar a camada superior de sua pele, os AHAs também a enfraquecem e a deixam mais suscetível a danos causados pelos raios UV, o que é uma das principais causas do envelhecimento prematuro, sem mencionar câncer de pele.

O problema é tão grave que a Administração de Drogas e Alimentos americana sugeriu que as empresas de cosméticos colocassem uma etiqueta de advertência em seus produtos, o que elas certamente não fizeram.

Independentemente da forma como os cremes vierem rotulados – ácido glicólico, ácido láctico, ácido cítrico, ácido málico (ou, para os hippies, “ácido de fruta”) -, uma boa pedida é manter qualquer coisa com a palavra “ácido” longe de seu rosto. Se você quiser muito usá-los, faça-o com moderação. A regra de ouro é simplesmente usar protetor solar (principalmente se você também estiver usando esses cremes com o intuito de queimar sua cara).

2. Tirar as cutículas também pode causar infecções

Ah, como a beleza é perigosa, não é mesmo? Nem as cutículas escapam das críticas.
O problema com tirá-las é que essa pele é o seu escudo contra toda a porcaria que suas unhas encontra todos os dias, ao mesmo tempo que proporciona nutrientes e sangue para elas.

Ao usar o alicate nessa pele, ou mesmo ao empurrá-la para trás, você pode pegar infecções como as linhas de Beau (que deveriam ser chamadas na verdade de dedos de Frankenstein) ou leuconíquia transversal.

Se você não consegue resistir e quer se livrar das suas cutículas, tente empurrá-las para trás suavemente.

1. Lavar seu cabelo todos os dias é o que provavelmente causa todos os seus problemas de cabelo

Claro que ninguém quer ficar sem lavar o cabelo, pois ninguém tem o desejo de se parecer com um pelicano em um derramamento de óleo. O problema é que os shampoos não são assim tudo o que eles dizem que são, de forma que lavar seu cabelo todos os dias usando esses produtos não te deixa menos propensa a parecer um pelicano em um derramamento de óleo.

Shampoos “enriquecidos com nutrientes” são baboseiras. Seu cabelo não pode ser revitalizado, simplesmente porque não está vivo. E enquanto o shampoo pode limpar o seu cabelo, nesse processo também vai remover a camada protetora que o torna saudável – o sebo. Cabelo sem sebo é basicamente o cabelo do “antes” dos anúncios publicitários: emaranhado, seco, quebradiço e sem brilho.

Na verdade, os condicionadores existem porque os shampoos são muito eficazes – eles cobrem os danos causados pelos seus predecessores “colando” pontas duplas novamente e temporariamente replicando a aparência brilhante que o sebo confere ao cabelo. Mesmo assim, não são ideais.

No geral, os shampoos estão ressecando o cabelo de todo mundo. E mesmo se o seu for mais oleoso que batata frita de posto de gasolina, lavá-lo todos os dias pode fazer com que seu couro cabeludo compense esse fato e produza sebo extra, o que – é claro – te leva de volta ao cabelo gorduroso.

Não vou te pedir para desistir dos shampoos. Mesmo que você não precise realmente deles, eu sei que é não é prático desejar que as pessoas simplesmente parem de usá-los. Mas uma tendência crescente está tentando impor no mercado produtos semelhantes ao shampoo em sua função, mas muito menos agressivos. São os chamados “cremes de limpeza” para cabelo. Você poderia tentar uma troca, então.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for 6 produtos de banheiro que você provavelmente tem, mas que não funcionam

Deixe o seu comentário