Prisão de militar é um recado para quem pede por ditadura

O petrolão era só o começo

Eletrolão

Bernardo Mello Franco, na Folha de S.Paulo

A prisão do presidente da Eletronuclear mostra que a Lava Jato ultrapassou as fronteiras da Petrobras. A investigação chegou com força ao setor elétrico, que concentra alguns dos maiores investimentos do governo federal. Ao que tudo indica, o petrolão era só o começo.

O enredo da nova série, já chamada de eletrolão, parece reprise da anterior. O governo repartia as estatais entre os partidos aliados. As estatais repartiam os contratos entre as empreiteiras. As empreiteiras repartiam a propina entre os dirigentes das estatais e seus padrinhos em Brasília.

O último elo da partilha são os políticos, que ainda não apareceram na história. “É possível que no avanço das investigações a gente chegue a isso”, disse o delegado Igor Romário de Paula. Para bons entendedores, o recado não poderia ser mais claro.

No início do governo Lula, o setor elétrico era propriedade do PT. Dilma Rousseff, ainda pouco conhecida, comandava o Ministério de Minas e Energia. Depois do mensalão, a pasta passou ao controle do PMDB. Foi chefiada por figuras como Silas Rondeau e Edison Lobão, ambos aliados do ex-presidente José Sarney.

Rondeau caiu ao ser citado na Operação Navalha. Lobão, que voltou ao Senado, é investigado na Lava Jato. Estava no ministério quando a Eletronuclear licitou as obras de Angra 3, novo foco da investigação.

Segundo o delator Dalton Avancini, a partilha beneficiou sete empreiteiras. “Já havia um acerto entre os consórcios com a prévia definição de quem ganharia cada pacote”, contou. Depois, as empresa pagariam propina a dirigentes da estatal e ao PMDB.

Apesar do enredo repetido, o caso da Eletronuclear traz uma novidade. O presidente da estatal, Othon Luiz Pinheiro da Silva, é vice-almirante reformado. Sua prisão, sob suspeita de embolsar R$ 4,5 milhões, serve de alerta a quem pensa que uma “intervenção militar” salvaria o país da corrupção. Em tempo: na ditadura, nunca haveria espaço para uma operação como a Lava Jato.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Prisão de militar é um recado para quem pede por ditadura

Deixe o seu comentário