7 pessoas com órgãos genitais estranhos

publicado no Hypescience

A gente já falou por aqui que órgãos genitais bizarros em animais são mais comuns do que você imagina. O que talvez seja novidade é que certas estranhezas também podem acontecer entre nós, seres humanos.

Vamos chamar essas estranhezas de “peculiaridades”, afinal, nosso objetivo não é abordar as diferenças com preconceito, e sim apenas mostrar um pouco da variação que existe em tudo na vida.

1. A mulher com orgasmo infinito

Conhecida como Síndrome da Excitação Genital Persistente, o tal do orgasmo infinito é uma doença rara que faz com que pessoas fiquem sexualmente excitadas (às vezes ao ponto do orgasmo) sem quaisquer sentimentos de desejo sexual.
Já pensou que estranho!?

Essa excitação toda pode acontecer nas situações mais banais, como enquanto a pessoa está dirigindo, vendo um vídeo de negócios ou na fila do supermercado. Como você pode estar imaginando, ter essa síndrome pode ser algo extremamente desconfortável, já que as pessoas geralmente tentam esconder o sentimento de excitação quando estão em público.
Embora existam muitas pessoas que sofram desta condição, Zara Richardson pode ter o pior caso de já documentado (ou, pelo menos, ela tem o caso mais público da síndrome). Richardson ficou conhecida por ter algo em torno de até 500 orgasmos por dia.

Enquanto algumas pessoas pensam que isso pode ser uma coisa maravilhosa, Zara diz que é bem pelo contrário. Seus orgasmos constantes fazem com que ela se sinta exausta, além de complicarem seus relacionamentos. Afinal, ela nunca se sente sexualmente satisfeita e poucos homens encaram o desafio de competir com a síndrome.

pessoas-com-orgaos-genitais-estranhos-2-838x556

2. O homem que teve UMA DÉCADA de ereção

Enquanto alguns homens trabalham duro para conseguir alguns momentos a mais de ereção, esse cara teve o problema justamente contrário. A ereção dele durou apenas UMA DÉCADA.

Pense que os comerciais de Viagra alertam para que você procure um médico caso sua ereção dure mais de quatro horas. Imagine ter uma ereção que durou uma década inteira.

Mas como isso foi acontecer?

Charles Lennon, o homem da ereção de dez anos, ficou assim após uma cirurgia de implante peniano para tratar a sua impotência. Não preciso nem dizer que o procedimento deu errado, né?

O constante estado de excitação o deixou tão envergonhado que ele se tornou um recluso. Ele não conseguia mais andar de bicicleta, usar uma sunga ou abraçar seus entes queridos devido à dor e constrangimento.
Pior ainda, Charles não conseguiu ter o implante removido devido a outros problemas de saúde.

Além disso, se ele tivesse removido, não poderia usar remédios para impotência porque o tecido crítico teve de ser removido de seu pênis para ter o dispositivo implantado.

Por conta do desastre da cirurgia, Charles foi indenizado com 400 mil dólares (quase 1 milhão e meio de reais). Mas isso não fez com que seus problemas acabassem. Lamentamos, Charles…

3. A mulher com duas vaginas

Hazel Jones sentia cólicas menstruais extremamente dolorosas e tinha sangramento intenso quando era adolescente. Quando começou a ter relações sexuais, sentiu muita dor também.

Finalmente, Hazel procurou um médico. Mas só depois que um namorado disse que sua vagina era “diferente” das outras. O médico, então, acabou com o mistério.

Ele revelou que Hazel tinha dois conjuntos de órgãos, os dois femininos. Ou seja: duas vaginas, dois úteros, quatro ovários, e assim por diante.

A condição de Hazel é conhecida como “útero didelfo” e é extremamente rara, mas não totalmente inédita. Desde que ela descobriu essa peculiaridade sobre seus órgãos genitais, Hazel diz que se tornou confortável com seu corpo e o sexo não dói mais.

Os médicos disseram a ela que poderia remover um dos conjuntos de órgãos, mas Hazel recusou. Entre outras peculiaridades, ela sabe que tem de manter sua condição em mente se decidir ter filhos porque, por exemplo, se ela ficar grávida em um dos úteros, tem que tomar cuidado para não engravidar no outro também.

Não é de se surpreender que, uma vez que Jones foi à público sobre sua condição, imediatamente atraiu interesse da indústria pornô. No entanto, ela está convencida de que nunca vai aparecer em um filme adulto. Independentemente disso, não tem vergonha de mostrar sua anatomia. É só pedir com jeitinho e manter as câmeras bem longe.

4. A mulher com dois úteros que deu à luz a trigêmeos

Embora seja extremamente raro e perigoso mulheres com útero didelfo terem bebês em cada um de seus ventres, isso é totalmente possível. Na verdade, Hannah Kersey surpreendeu o mundo médico quando seu útero peculiar deu à luz não só a dois bebês, mas a três.

Hannah teve gêmeos fraternos e gêmeos idênticos ao mesmo tempo.

Enquanto o bebê que recebeu o nome de Gracie foi o produto do óvulo de um útero, Ruby e Tilly, os outros dois, nasceram no mesmo ventre do mesmo óvulo.

Os bebês nasceram pequenos, mas agora estão saudáveis e felizes.

5. O homem com dois pênis

Se existem mulheres com duas vaginas, também deve existir um homem com dois pênis, certo?
Certo.

Nos homens, esta condição é conhecida como “difalia” e afeta cerca de 1 em 5,5 milhões de homens. Uma pessoa com esta condição veio a público sobre seus dois pênis totalmente funcionais recentemente, embora se recuse a revelar sua verdadeira identidade. Online, ele atende pelo nome de “DiphalliaDude” (ou “o cara com difalia”, em tradução livre).

Em uma rede social no estilo “pergunte qualquer coisa”, DiphalliaDude mostra fotos para provar que sua condição é real e responde perguntas sobre como é a vida de um homem com dois pênis. Ele revelou que é bissexual, já fez sexo com mais de 1.000 parceiros, e falou sobre a mecânica de lidar com dois membros eretos ao mesmo tempo.

Ele também lançou um livro que oferece uma visão ainda mais profunda sobre sua vida sexual. Claro que a publicação foi um best-seller na seção de biografias LGBT da Amazon por mais de sete meses.

6. A mulher sem uma vagina

Se você acha que é estranho ter dois conjuntos de órgãos sexuais, imagine nascer com nenhum – o que é mais comum do que você provavelmente pensa.

Na verdade, uma em cada 4.000 mulheres nasce com síndrome de Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser, o que significa que não tem uma vagina.

Estas mulheres não se parecem com bonecas Barbie. Elas ainda têm a aparência externa das mulheres comuns. No entanto, não há nada mais do que uma pequena reentrância que está a poucos centímetros de profundidade, onde o orifício vaginal deveria estar.

Uma mulher com a condição, residente no Reino Unido, se identifica apenas pelo nome de Susan. Como muitas mulheres com o problema, Susan viu vários médicos antes de descobrir a verdadeira natureza do seu problema. Na maioria dos pacientes, a falta de uma vagina não é perigosa, já que a condição normalmente vem acompanhada de um útero que não funciona. Em alguns casos quando o útero funciona, a doença pode ser fatal quando a menstruação ocorre, já que o sangue não tem para onde ir.

Para Susan, o parto está fora de cogitação. Por isso, uma vagina pode ser feita através de uma cirurgia ou de uma técnica de dilatação induzida por pressão. Uma vez que estes procedimentos são realizados, as mulheres podem ter vidas sexuais normais.

Se elas têm ovários, também podem produzir filhos com a ajuda de uma barriga de aluguel e fertilização in vitro.

7. O homem que nasceu com um útero

Bebês intersexuais (ou seja, com aspectos de ambos os órgãos genitais masculinos e femininos, hormônios e cromossomos) ocorrem em até 1 em cada 1.000 nascimentos. Mesmo assim, é raro para uma pessoa ter órgãos reprodutivos totalmente funcionais de ambos os sexos.

Um homem britânico de 37 anos de idade (que se identifica como “Rob”) ficou chocado quando médicos disseram que ele tinha órgãos reprodutivos femininos totalmente funcionais.

Enquanto Rob tem órgãos genitais masculinos normais, ele também tem um útero, colo do útero, ovários e trompas. Isso é típico de uma condição conhecida como Síndrome da Persistência do Ducto Mülleriano.

Todos os fetos têm uma estrutura chamada de Ducto de Müller que, eventualmente, se desenvolve em órgãos reprodutivos em mulheres. E, eventual e geralmente, dissolve-se em fetos do sexo masculino. O que não aconteceu com Rob.

O homem só descobriu sobre sua condição depois de ir ao médico reclamando de sangue em sua urina, que tinha desde a puberdade. Como se constatou, o sangue não era perigoso, era só menstruação.

Embora alguns homens na situação de Rob poderiam ficar felizes com a oportunidade de quebrar paradigmas e se tornarem o primeiro da história a engravidar e carregar um bebê na barriga, Rob planeja fazer uma histerectomia.
Apesar de este procedimento acabar com uma possível crise de identidade sexual, leva a um problema: Rob poderia passar por uma menopausa por causa disso.

Ele compartilhou sua história com a esperança de que outros homens nestas condições venham a descobrir mais cedo e procurem um tratamento adequado.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for 7 pessoas com órgãos genitais estranhos

Deixe o seu comentário