Demitido gerente no Rio que deu bananas a entregadores no Dia da Consciência Negra

foto_entregador1_1

Publicado no G1

Questionado sobre a demissão do gerente do restaurante Garota da Tijuca, Leonardo Valentim, motorista do caminhão de entrega de bebidas que teria recebido bananas com outros dois entregadores, afirma que o desligamento do funcionário não pode se tornar uma maneira do estabelecimento fugir à responsabilidade.

“Mesmo sendo demitido, o bar não pode deixar de ser responsabilizado, porque ele era funcionário do bar no momento que ele nos ofereceu as bananas”, conta Leonardo Valentim.

Ele afirma que a justiça tem que ser feita e teme que seja uma manobra para livrar a empresa da responsabilidade. “Não pode ser assim. Isso não é justiça”, afirmou o motorista

Na tarde desta terça-feira (24), o bar emitiu um comunicado oficial informando que Ascendino Correia Leal foi demitido do restaurante. Ele teria oferecido bananas a três entregadores de bebidas negros como “homenagem” ao feriado da Consciência Negra. As vítimas acionaram a polícia e o gerente foi levado para a 19ª DP (Tijuca).

A nota informa que a atitude do funcionário é “independente” em relação a empresa e que este tipo de situação é “inadmissível. Na mesma nota, a direção do restaurante repudia atitudes ofensivas contra o estabelecimento e seus funcionários que, de alguma maneira, compactuam com algum tipo de comportamento discriminatório. O texto é encerrado com um pedido de desculpas.

garota

Leonardo Valentim, motorista do caminhão que entregava bebida no bar, contou que ele e os dois entregadores estavam fazendo uma entrega no estabelecimento. “Ele foi em cada um de nós e ofereceu as bananas e disse que era em homenagem ao Dia da Consciência Negra. E ainda completou que ‘é uma para cada um que vocês, que são todos da mesma raça”, disse Leonardo.

Segundo o delegado-titular da 19ªDP (Tijuca), os depoimentos apontam que Ascendino acreditou estar fazendo uma brincadeira. “De mau gosto”, acrescentou Celso Gustavo Castello Ribeiro.

William Dias Delfim, outra vítima, afirmou em depoimento que o gerente tentou desfazer o constrangimento e entrou no restaurante rindo. No entanto, Leonardo teria discutido com o gerente pelo ocorrido e chamado a Polícia Militar. O gerente do restaurante Garota da Tijuca teria oferecido um almoço grátis às vítimas para evitar que o caso fosse levado à delegacia.

Ascendino pagou fiança de R$ 800 e foi liberado no mesmo dia. Ele pode pegar de um a três anos de prisão e mais multa. No registro de ocorrência, os dois entregadores afirmaram que não conheciam o gerente.

Leonardo afirma que relembrar o caso faz mal a ele e que chegou a pensar em agredir o homem, mas pensou melhor e viu que isso iria transformar o autor em vítima.

“A gente vê isso acontecendo pela TV, com jogadores de futebol, e até com artistas, como a Taís Araújo, e não imagina que uma coisa dessas vai acontecer com a gente”, afirma Leonardo.

Veja a íntegra da nota do restaurante:

A direção do Restaurante Garota da Tijuca, perante a atitude independente e comprovada de um funcionário comunica que o mesmo foi demitido da empresa.
Reiteramos que situações como essas são inadmissíveis !
Repudiamos também as atitudes ofensivas contra o estabelecimento e seus funcionários que, de maneira alguma, compactuam com qualquer tipo de comportamento discriminatório.
Pedimos desculpas a nossos clientes e fornecedores por esse fato isolado, certos de que isso não se repetirá.
A DIREÇÃO

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Demitido gerente no Rio que deu bananas a entregadores no Dia da Consciência Negra

Deixe o seu comentário