Beijar ajuda na limpeza dos dentes? Confira 8 curiosidades

saudebucalbeijorepre

Publicado no Terra

Você se considera um expert em beijo? Sabe, por exemplo, quantas bactérias podem ser trocadas durante um beijo? Você sabia que beijar faz a gente perder calorias? Se essas perguntas te surpreenderam então se prepare, pois o Terra conversou com um especialista e listou 8 curiosidades sobre beijar.

1. Durante o beijo é possível haver uma trocar de até 80 milhões de bactérias
Segundo um estudo feito pela Universidade de Amsterdam, na Holanda, durante um beijo de dez segundos, pode haver uma troca de até 80 milhões de bactérias. Mas, segundo Celso, esse vai-e-vem de microorganismos só é saudável se ambas as pessoas apresentarem boa higiene oral, com escovação adequada e o uso regular do fio dental.

Agora outra curiosidade: a língua é o ambiente bucal preferido pelas bactérias para criar suas colônias, por isso sua higienização também é fundamental para a saúde da boca.

2. Muitas dessas bactérias são do bem e ajudam a melhorar o sistema imunológico
Segundo Celso, vários estudos vêm mostrando que é possível que a presença de bactérias diferentes em nosso corpo possa contribuir com o sistema imunológico. Isso porque, por elas serem “estranhas”, o organismo se arma para combatê-las (caso precise), ficando mais forte.

3. Beijar gasta calorias
Sim, cerca de 12 calorias são gastas durante um beijo intenso. Mas Celso faz um alerta aos preguiçosos: “Por mais beijos que sejam trocados, essa quantidade de caloria não compensa uma vida sedentária”, brinca.

4. Beijar movimenta cerca de 30 músculos da face e ajuda as bochechas a ficarem menos flácidas

Isso mesmo, quando estamos beijando vários músculos da nossa face se movimentam ao mesmo tempo numa verdade academia facial. Agora, se isso vai realmente deixar nossas bochechas menos flácidas, não há estudos que comprovam essa teoria. Mas não custa tentar, né?

5. É possível contrair doenças beijando
Exatamente. Isso porque várias doenças podem ser transmitidas pela saliva, como a mononucleose (famosa doença do beijo), a herpes e a gripe. Já no caso da carie e das doenças gengivais, Celso Lemos, professor do Departamento de Estomatologia da FOUSP (Faculdade de Odontologia da USP), acredita que o contágio pela saliva é pouco provável. “Hoje sabemos que a transmissão e o desenvolvimento essas doenças dependem de outros fatores mais importantes, como a resistência imunológica da pessoa, dos hábitos de consumo de açúcar e de higiene”, diz o especialista.

6. Beijar relaxa
Sim, um beijo apaixonado inunda o cérebro com substâncias químicas que inicialmente aumentam o batimento cardíaco e depois trazem uma sensação de bem-estar e prazer que podem elevar o nível de relaxamento ou, dependendo da situação, preparar o corpo para o sexo.

“O beijo aumenta a quantidade de dopamina que está relacionada aos sentimentos de atração e desejo, libera o hormônio oxitocina (conhecido como hormônio do amor) e reduz a quantidade do hormônio do estresse o cortisol. Além disso, beijos fraternos aumentam a ligação entre membros de uma mesma família ou comunidade”, diz Celso.

7. O beijo pode ser tão viciante quanto às drogas

Mas calma, é um vício bom. O bem-estar e o prazer que um beijo pode causar são capazes de fazer com que a pessoa apaixonada o busque cada vez mais e sempre que possível, como um vício. “Esse aspecto pode ter algum grau de semelhança com o uso de drogas, mas em um nível saudável que só trará benefícios”, diz Celso.

8. Beijar ajuda na limpeza dos dentes

Além de o beijo incentivar a pessoa a cuidar mais do seu hálito, afinal, ninguém quer beijar com um bafinho, ele também ajuda a combater o problema da “boca seca”. Isso porque o beijo estimula as glândulas salivares e aumenta a salivação. E para quem não sabe, a saliva é o detergente natural da boca, responsável por deixá-la sempre limpa e umedecida.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Beijar ajuda na limpeza dos dentes? Confira 8 curiosidades

1 Comentário

Deixe o seu comentário