A química por trás de um palito de fósforo em chamas

publicado no GizModo

Nós compartilhamos por aqui, há algum tempo, o vídeo de um fósforo queimando em câmera lenta a 4.000 quadros por segundo. A American Chemical Society pegou este vídeo para explicar o que acontece em nível molecular quando você acende um palito.

fosforo-em-chamas

Vamos lá: a cabeça do palito possui um combustível (trissulfeto de antimônio), uma substância para ajudar esse combustível a pegar fogo (clorato de potássio), e outro composto para evitar que a combustão gere muita fumaça (fosfato de amônio).

A cera de parafina ajuda a chama a viajar para baixo no palito, e uma cola mantém tudo isso junto. Há também um corante para deixar o fósforo mais bonito.

Na caixinha, há uma superfície de vidro em pó (para a fricção) e fósforo vermelho (para acender o fogo). Quando você raspa a cabeça do fósforo na caixa, isso cria fricção e emite calor. Essa energia converte o fósforo vermelho em fósforo branco, que é extremamente volátil e reage com o oxigênio do ar, causando a ignição.

fosforo-slow-motion

Todo esse calor também faz o clorato de potássio – presente na cabeça do fósforo – pegar fogo. Por ser um agente oxidante, ele fornece mais oxigênio à reação. Esse oxigênio se combina ao combustível (trissulfeto de antimônio) para criar uma chama duradoura.

Essa reação cria óxidos de enxofre, que possuem aquele cheiro de algo queimando. Há também a fumaça, composta de pequenas partículas que escaparam da combustão, mais vapor d’água.

A ACS levou quase um minuto e meio para descrever, no vídeo, o que acontece em apenas um décimo de segundo. Como eles próprios lembram, “a química é rápida”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A química por trás de um palito de fósforo em chamas

Deixe o seu comentário