Chico Buarque retira autorização para peças de Claudio Botelho

claudio_botelho

Publicado no G1

O cantor e compositor Chico Buarque diz que não vai mais autorizar o uso de suas músicas em espetáculos do ator e diretor Claudio Botelho. Neste sábado (19), durante uma apresentação do musical “Todos os musicais de Chico Buarque em 90 minutos” em Belo Horizonte, Botelho fez um improviso no qual se referiu à prisão de “um ex-presidente ladrão” e citou “uma presidente ladra”. Parte da plateia reagiu gritando “não vai ter golpe” (clique aqui para assistir), e a sessão foi suspensa. A apresentação do dia seguinte foi cancelada.

“É prerrogativa do autor, amparado por lei, autorizar ou não o uso de sua obra segundo seus próprios critérios. Portanto, neste caso não se aplicam as palavras veto ou proibição, mas sim autorização”, informou ao G1 nesta segunda-feira (21) a assessoria de imprensa de Chico Buarque. “Chico decidiu que a partir de agora não mais autorizará Botelho a usar suas canções em trabalhos futuros.”

Ao jornal “O Globo”, Botelho afirmou ter se sentido “censurado”.

A assessoria de Chico Buarque não soube informar se pretende barrar a estreia da temporada paulistana do espetáculo “Os Saltimbancos Trapalhões – O musical”, programada para junho. O musical, que teve temporada carioca em 2014, usa canções de Chico Buarque. A produção é assinada por Claudio Botelho e Charles Möeller, com quem o diretor e produtor forma a dupla Möeller & Botelho.

Além da peça, está prevista para 2017 uma nova adaptação da história para o cinema, “Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood”. O assessor de Chico Buarque disse ao G1 que o músico não tem a intenção de retirar a autorização para o longa: “Filme é uma obra fechada, então obviamente a orientação de Chico não se aplica a ele”.
Möeller & Botelho são responsáveis por alguns dos maiores sucessos do teatro musical brasileiro recente, como “O Mágico de OZ” (2012), “Hair” (2010) e “Avenida Q” (2009). Os dois também adaptaram outras obras de Chico Buarque, como “Ópera do malandro” (2003) e “Ópera do malandro em concerto” (2006).

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Chico Buarque retira autorização para peças de Claudio Botelho

1 Comentário

Deixe o seu comentário