10 filmes nacionais para ver na Netflix

publicado na Gazeta do Povo

Entre as produções disponibilizadas pela Netflix neste mês de abril estão dois filmes nacionais que ganharam destaque na safra recente: “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro, e “Eu Não Faço a Menor Ideia do que Tô Fazendo com a Minha Vida”, de Matheus Souza.

cidade-de-deus

Os filmes chegam para engrossar o catálogo de cinema brasileiro disponível do serviço de streaming. Confira a seguir essas e mais oito dicas de filmes nacionais para ver na Netflix:

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014)

Direção: Daniel Ribeiro

Leonardo (Guilherme Lobo) é um adolescente cego que vive com a mãe superprotetora e faz amizade com Gabriel (Fabio Audi), jovem recém-chegado à cidade. De forma delicada, o filme mostra a descoberta da sexualidade a partir da relação entre os dois personagens. A produção foi indicada pelo Brasil para disputar o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2015, mas não passou na seleção final.

Eu Não Faço a Menor Ideia do que Tô Fazendo com a Minha Vida (2012)

Direção: Matheus Souza

Clarice Falcão, famosa por estrelar os vídeos do humorístico Porta dos Fundos, interpreta Clara, uma jovem indecisa sobre os rumos da sua vida. Cursando Medicina por pressão da família, não está nada satisfeita com a faculdade. As coisas mudam de figura quando conhece Guilherme (Rodrigo Pandolfo), tão desnorteado quanto ela.

Chatô (2015)

Direção: Guilherme Fontes

A estreia do ator Guilherme Fontes na direção ganhou notoriedade por todo o imbróglio de 20 anos que envolveu sua produção: processos por mau uso de dinheiro público, problemas nas filmagens e até uma participação frustrada de Francis Ford Coppola. No final, a história do magnata das comunicações Assis Chateaubriand arrancou elogios da crítica pela ousadia linguística e narrativa.

O Som ao Redor (2012)

Direção: Kléber Mendonça Filho

Em maio, o pernambucano Kléber Mendonça disputa o Festival de Cannes com “Aquarius”, estrelado por Sonia Braga. Na Netflix é possível conferir o filme que fez a fama do diretor, com prêmios internacionais e críticas enaltecedoras. Em um bairro de classe média do Recife, vários personagens dividem um cotidiano de tensão e conflito.

Cidade de Deus (2002)

Direção: Fernando Meirelles

Talvez o grande marco da cinematografia brasileira no século 21, tanto pela renovação na linguagem quanto na abertura de portas internacionais. A história da guerra criminosa que atravessa décadas no Rio de Janeiro levou o cineasta Fernando Meirelles a Hollywood e se tornou a produção nacional com mais indicações ao Oscar: quatro, inclusive melhor diretor.

Ônibus 174 (2002)

Direção: José Padilha

Antes do sucesso de “Tropa de Elite”, José Padilha tratou da violência urbana nesse documentário que reconstitui um episódio que ganhou as manchetes dois anos antes. De forma eletrizante, o filme não só narra o sequestro de um ônibus pelo jovem Sandro Barbosa do Nascimento, como mostra como sua história de vida foi determinante para o crime.

Tropa de Elite (2007)

Direção: José Padilha

Outra referência na produção nacional contemporânea, conquistou o Urso de Ouro no Festival de Berlim, tornou-se um fenômeno de bilheteria e gerou acalorados debates sobre a tese do “bandido bom é bandido morto”. Wagner Moura entrou para o imaginário popular com seu Capitão Nascimento, policial de métodos pouco ortodoxos contra criminosos, subordinados e usuários de droga.

2 Coelhos (2012)

Direção: Afonso Poyart

Há os que adoram e os que odeiam o filme, com estética de videoclipe e cheio de referências pop, que vão de Quentin Tarantino e Guy Ritchie a videogames e animes. Após uma temporada fora do país, Edgar (Fernando Alves Pinto) bola um ousado plano para ganhar dinheiro, prejudicando políticos e criminosos.

O Palhaço (2011)

Direção: Selton Mello

Depois de se tornar um dos principais atores do cinema nacional, Selton Mello se aventurou na direção. Após uma estreia irregular com “Feliz Natal”, mostrou maturidade em “O Palhaço”. A comédia dramática conta a história do palhaço Benjamim (o próprio Selton) e seu pai Valdemar (Paulo José), que tentam sobreviver na atividade em tempos de decadência do circo.

Latitudes (2014)

Direção: Felipe Braga

Primeiro filme no Brasil concebido para TV e internet, “Latitudes” faz parte de um projeto lançado primeiramente como uma série, dividida em oito episódios. Filmado em oito países diferentes, narra os encontros e desencontros do casal formado pelo fotógrafo José (Daniel de Oliveira) e a editora de moda Olívia (Alice Braga)

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for 10 filmes nacionais para ver na Netflix

Deixe o seu comentário