A cada 8 horas sentado, é necessário 1 hora de exercício, diz estudo

bicicleta

Publicado no Bem Estar

Pelo menos uma hora de atividade física diária é necessária para resistir aos efeitos negativos de ficar sentado durante oito horas, revelou um estudo publicado nesta quinta-feira (28) pela revista médica britânica “The Lancet”.

A pesquisa, que analisou dados de 16 relatórios anteriores sobre pessoas com mais de 45 anos dos EUA, Europa Ocidental e Austrália, concluiu que os cidadãos que levam uma vida sedentária contam com uma probabilidade mais alta de risco de morte.

Um grupo de especialistas internacionais verificou que aqueles que se sentam durante oito ou mais horas por dia e fazem pouca atividade física têm um risco de 9,9% de morrer em um período de entre 2 e 18 anos.
Já as pessoas que passam menos de quatro horas sentadas e fazem exercício durante pelo menos 60 minutos por dia, tem o risco de morrer nesse período reduzido em até 6,8%.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha 150 minutos de exercício por semana, mas a publicação britânica, baseada em dados de mais de um milhão de pessoas, qualificou a recomendação de “insuficiente”.

O principal autor do estudo, o professor Ulf Ekelund da Universidade inglesa de Cambridge, explicou que “não é preciso ir à academia” e que “é suficiente andar de manhã ou depois do jantar, mas é preciso fazê-lo pelo menos uma hora por cada dia”.

A pesquisa também afirmou que pelo menos 60 minutos de “exercício de intensidade moderada”, como andar a uma velocidade de 5,6 km/h ou andar de bicicleta a 16 km/h seria suficiente para reduzir os efeitos de ficar sentado durante um longo período de tempo.

“Não é fácil fazer exercício uma hora todos os dias, mas os adultos britânicos veem em média 3 horas e 6 minutos de televisão. Não é muito pedir que um pouco dessas três horas seja usada em atividade física”, ressaltou Ekelund.

Dica da Cris Danuta

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A cada 8 horas sentado, é necessário 1 hora de exercício, diz estudo

Deixe o seu comentário