Sete questões que Feliciano não soube explicar e que o complicam

Marco-Feliciano

Leandro Mazzini, no UOL

A série de reportagens publicadas pela Coluna Esplanada desde a revelação da denúncia de Patrícia Lélis contra Marco Feliciano, com suas reviravoltas e versões, e personagens dos mais variados perfis, dá uma certeza até agora: não há santo nesse script, e todos são fortes suspeitos diante das evidências.

Enquanto nos episódios de São Paulo Patrícia se complicou, e será indiciada por falsa comunicação de crime, em Brasília o deputado federal está na mira dos investigadores com evidências que indicam sua vulnerabilidade na defesa, além dos relatos detalhados da mulher, os prints das conversas trocadas com mensagens atribuídas ao político – e que partiram de seu telefone.

A Delegacia da Mulher e a Polícia Federal – caso o Supremo Tribunal Federal acolha a denúncia da Procuradoria Geral da República – terão um pote cheio de dúvidas para esclarecer.

Há um fator curioso que será levado em conta: Foi Bauer quem pagou as diárias para Patrícia ficar no hotel em SP, por pelo menos 10 dias. Entre as questões, estas questões:

1 – Por que Feliciano ficou num silêncio sepulcral durante quatro dias, desde a denúncia publicada, dia 2, até sábado, dia 6, quando divulgou seu vídeo-defesa?

2 – Se a garota está mentindo, por que vai perdoá-la e não processá-la judicialmente, o que se esperaria para casos contra a honra do tipo?

3 – Por que o chefe de gabinete passa a negociar suborno de R$ 50 mil pelo silêncio da mulher, se não há nada a temer?

4 – Por que ele telefonou para ela e pediu para caprichar num vídeo a seu favor? (Patrícia e Emerson Biazon, que a levou para SP, confirmam o teor do diálogo. E há o vídeo do chefe de gabinete passando o telefone para ela, anunciando o ‘Marco’).

5 – Por que Feliciano mentiu ao dizer no seu vídeo-defesa que não sabia dos passos do assessor (a ligação para Bauer, para falar com Patrícia, desmonta sua versão )

6 – Por que até agora não apresentou provas de onde estava na manhã do dia 15 de junho, data relatada por Patrícia como o dia e período da suposta agressão?

7 – Onde estão as imagens das câmeras da portaria do Bloco H, do elevador e do hall do apartamento do quarto andar, onde o parlamentar reside em Brasília?

Confira aqui a primeira denúncia

Ouça aqui o áudio em que ela confirma a agressão

Assista o vídeo que comprova encontro da garota com assessor

Leia aqui os prints das conversas sobre negociação de R$ 300 mil

Feliciano telefonou para ela, e pediu para caprichar em vídeo em sua defesa

Veja aqui o cronograma da denúncia

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Sete questões que Feliciano não soube explicar e que o complicam

Deixe o seu comentário