Você consegue ver o que se esconde por trás dessa imagem? Tente outra vez

publicado no El Pais

Akiyoshi Kitaoka é professor do departamento de Psicologia da Universidade Ritsumeikan de Kyoto (Japão), e há vários anos cria ilusões visuais para estudar a percepção humana. Em seu site, nada é o que parece: publica formas estáticas que simulam estar em movimento, morangos aparentemente vermelhos que são de outra cor e imagens quadriculadas que escondem algo (como a que aparece acima). Você já conseguiu descobrir o mistério por trás dos quadrados? Uma dica: afaste-se da tela.

1493288132_042732_1493290005_noticia_normal_recorte1

O fenômeno se deve à composição da retina humana, formada por dois subsistemas visuais: o parvocelular, no centro, que está especializado em frequências espaciais relacionadas aos detalhes; e o magnocelular, na periferia, que processa as frequências referentes ao conjunto.

O docente japonês aproveitou essa peculiaridade da retina para “enganar” a nossa visão, e revelou a técnica usada em sua conta no Twitter:

C7g3GlHVwAAO82a

A imagem escondida atrás dos quadrados é uma foto do professor japonês.

José Antonio Aznar, catedrático de Percepção e Atenção Visual da Universidade de Barcelona e membro do Institut de Neurociències, esclarece que “a imagem camuflada não é visível de perto porque as altas frequências espaciais foram excluídas.”

“Além disso, como o sistema magnocelular se especializou em detectar movimentos, ao mexer a cabeça rapidamente de um lado para o outro também podemos ver o rosto escondido”, explica o especialista espanhol.

Não é a primeira vez que os estudiosos jogam com esse efeito — conhecido como mascaramento — para criar ilusões visuais como esta.

1493288132_042732_1493289644_sumario_normal_recorte1

Aznar usa como exemplo outra imagem, em que, de perto, se pode ver Einstein (altas frequências), e, de longe, Marilyn Monroe (baixas frequências). Você consegue vê-los?

“Todas as atividades humanas requerem percepção (o que entra através da janela dos sistemas sensoriais) e atenção (que permite selecionar as partes mais relevantes)”, detalha Aznar. Assim, esse tipo de pesquisas permite averiguar de que maneira as formas visuais são codificadas e armazenadas no cérebro, como o tipo de informação transmitida pelo nervo óptico à área cerebral primária e as propriedades das imagens que serão processadas. E suas aplicações são bastante variadas: desde desenvolver estratégias que evitem a distração de motoristas de veículos, até analisar os indicadores de êxito de esportistas profissionais, de acordo com Aznar.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Você consegue ver o que se esconde por trás dessa imagem? Tente outra vez

Deixe o seu comentário