Como se proteger de incêndios como o que destruiu prédio de 24 andares em Londres

Corpo de Bombeiros de Londres resgatou 65 pessoas do edifício em chamas, enquanto outros saíram por conta própria

Corpo de Bombeiros de Londres resgatou 65 pessoas do edifício em chamas, enquanto outros saíram por conta própria

A maioria das mortes durante incêndios no interior de edificações costuma ocorrer não por queimaduras, mas sim pela inalação da fumaça.

Publicado no BBC Brasil

Isso ocorre porque o fogo e as pessoas competem pelo mesmo recurso: o oxigênio. Mas a falta desse elemento nos incapacita rapidamente e, muitas vezes, não dá tempo para chegar a um lugar seguro.

À medida que as chamas se espalham pelo interior de um edifício, o fogo vai consumindo o oxigênio disponível e, além disso, a combustão incompleta dos materiais queimados libera gases tóxicos que nos envenenam.

É o que aconteceu no edifício londrino Grenfell, destruído por um incêndio na quarta-feira. O número de vítimas fatais da tragédia subiu para 30 nesta sexta, e há ainda cerca de 40 pessoas desaparecidas. Outros 24 feridos permanecem hospitalizados, metade deles em estado crítico.

A fumaça do incêndio contém dois fatores principais que causam danos: o monóxido de carbono, um gás tóxico que pode causar a morte quando inalado em grandes quantidades; e pequenas partículas em suspensão, tão pequenas que são invisíveis ao olho humano, mas que podem chegar aos pulmões e danificar as vias respiratórias.
Como a inalação de fumaça afeta nossa saúde:

Getty Images Image caption Com menos de 4% de oxigênio no ar, o corpo pode sofrer uma parada respiratória ou cardíaca mortal

Getty Images
Image caption Com menos de 4% de oxigênio no ar, o corpo pode sofrer uma parada respiratória ou cardíaca mortal

A capacidade de percepção e de raciocínio, essenciais para se orientar e escapar rapidamente do fogo, diminui com a falta de oxigênio.

Ao ar livre, o nível de oxigênio normal é de 21%. Se o nível baixar para 17%, as pessoas já podem ter problemas de força e coordenação, segundo a Associação Nacional de Proteção contra o Fogo dos Estados Unidos.

Quando o nível está abaixo de 10%, as pessoas têm náuseas, vômitos e ficam inconscientes. E um nível de oxigênio entre 6% e 8% é fatal depois de 6 a 8 minutos. Com menos de 4%, ocorre uma parada respiratória ou cardíaca mortal.

Além disso, o calor é um perigo em si: respirar gases muito quentes pode queimar as vias respiratórias e também causar a morte.
3 conselhos para minimizar a inalação de fumaça em caso de incêndio:

Agachar e engatinhar

O calor do fogo empurra as nuvens de fumaça para cima, deixando próximo ao solo um espaço de ar relativamente limpo.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Londres, se há fumaça, é melhor manter-se próximo ao solo e engatinhar para um lugar seguro para minimizar a inalação de gases tóxicos.

Cobrir a boca e o nariz

Se para escapar for preciso passar por um cômodo cheio de fumaça, usar uma toalha (de preferência molhada, mas apenas se houver tempo) sobre o nariz e a boca pode te ajudar a filtrar as partículas de fumaça para proteger os pulmões.

É melhor não respirar pela boca, já que o nariz consegue filtrar melhor as partículas de combustão suspensas no ar.

Quando a passagem está bloqueada

Se não for possível sair de uma casa ou edifício em chamas, o Corpo de Bombeiros de Londres recomenda ir a um cômodo seguro, de preferência longe do fogo, com uma janela que possa ser aberta; e tapar todas as possíveis entradas de fumaça – como os espaços debaixo das portas ou os dutos de ventilação – com toalhas, cobertores, almofadas ou roupas de cama, para se ganhar tempo até que cheguem os bombeiros.

Se houver uma torneira no local, também é recomendável molhar os tecidos.

Reuters Image caption Pessoas com problemas cardiovasculares ou respiratórios (como asma), crianças e idosos são os mais vulneráveis aos efeitos da exposição à fumaça

Reuters
Image caption Pessoas com problemas cardiovasculares ou respiratórios (como asma), crianças e idosos são os mais vulneráveis aos efeitos da exposição à fumaça

Outros conselhos do para lidar com um incêndio

Antes de abrir uma porta

Ao escapar, antes de abrir uma porta, é preciso tocá-la com a mão. Se estiver quente, significa que provavelmente há chamas do outro lado, e essa porta fechada pode protegê-lo enquanto você busca uma passagem alternativa para escapar.

As portas corta-fogo mais comuns foram desenvolvidas para resistir a pelo menos 30 minutos.

Além disso, se for preciso abrir uma porta durante um incêndio, pense que às vezes a grande diferença de pressão nos dois lados pode levá-la a abrir com força.

Se o fogo atinge a roupa

Se você correr desesperadamente, as chamas vão queimar ainda mais. Segundo o Corpo de Bombeiros de Londres, o que se deve fazer é deitar no chão e começar a rolar, para dificultar que as chamas se propaguem.

Depois, se outra pessoa estiver no local, pode-se sufocar as chamas com um material pesado, como um abrigo ou um cobertor.

Escapar pela janela

“Se estiver no andar térreo ou no primeiro andar, escape pela janela”, diz o corpo de bombeiros em seu site.

“Use materiais macios para amortecer a queda e desça o mais cuidadosamente possível antes de se deixar cair; não salte.”

No Brasil, a orientação do corpo de bombeiros da Polícia Militar de São Paulo diz: “Não salte do prédio. Muitas pessoas morrem sem imaginar que o socorro pode chegar em poucos minutos”.

Ficar em casa

Em muitos edifícios londrinos, orienta-se aos moradores que permaneçam em casa caso o incêndio não afete o seu andar. Isso porque, em geral, a escada de emergência é compartilhada entre os moradores e os bombeiros.

A norma serviria para conter um incêndio em um apartamento e manter as escadas e corredores livres de fumaça por algum tempo, permitindo que as evacuações fossem feitas com cuidado após o fogo ser contido.

Segundo o engenheiro especializado em incêndios Ikhwan Razali, essa orientação só é correta caso o prédio tenha um bom sistema de extinção de fogo entre um andar e outro. “No caso (do Grenfell), o conselho me parecer ter sido errado”, diz ele.

A corporação de SP recomenda: “Se um incêndio ocorrer em seu apartamento, saia imediatamente. Muitas pessoas morrem por não acreditarem que um incêndio pode se alastrar com rapidez”, diz sua cartilha.

Apenas escadas

A corporação também afirma que todo edifício deve possuir um plano de emergência para abandono em caso de chamas e lembra que nunca se deve usar o elevador – sempre as escadas.

“Um incêndio razoável pode determinar o corte de energia para os elevadores. Feche todas as portas que ficarem atrás de você, assim retardará a propagação do fogo”, prossegue a cartilha de SP.

Não subir

Recomenda-se ainda que, não sendo possível sair do prédio pelas escadas, a pessoa deve permanecer no andar em que está, aguardando a chegada dos bombeiros. Deve-se subir aos últimos andares apenas se o edifício oferecer condições de evacuação pelo alto ou se a situação exigir.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Como se proteger de incêndios como o que destruiu prédio de 24 andares em Londres

Deixe o seu comentário