Este verme está há 18 milhões de anos sem sexo

publicado na Super Interessante

Há uma espécie de verme (Diploscapter pachys) que abandonou a reprodução sexuada – ou seja, não bagunça mais o lençol – há 18 milhões de anos. O que parece uma péssima ideia, mas não pelos motivos que você imagina.

este-verme-estc3a1-hc3a1-18-milhc3b5es-de-anos-sem-sexo

Sexo é um negócio bom por duas razões frias, calculistas e biológicas. A primeira é que, lá na pré-história, indivíduos que sentiam mais prazer do que incômodo na hora da cópula tinham um ótimo motivo para transar de novo. E de novo. E de novo, garantindo a perpetuação da espécie humana por aí. Seleção natural, simples assim.

A segunda é que, quando ‘fazemos bebê’ em dupla, nós misturamos nosso DNA ao do parceiro. Nasce uma coisa única, que não é nem um nem o outro, mas uma mistura inédita, com nariz, olhos e sistema imunológico únicos.

Se o pai for suscetível a uma doença e a mãe não, a mãe aumenta as chances de que a criança nasça imune. O oposto também é verdade. Já se nós nos reproduzíssemos como as bactérias – criando clones de nós mesmos –, os bebês nasceriam idênticos aos pais. E um vírus qualquer que já tivesse aprendido a deixar o pai doente saberia exatamente como infectar o filho.

Colocando de outra forma: em longo prazo, a natureza, acostumada com nosso DNA previsível, nos venceria. A variedade genética criada pela reprodução sexuada é tão vantajosa que, além de nós, quase todos os animais – de minhocas a vacas – a adotaram e não voltaram atrás.

Esse é um ponto de vista, claro. Outro, não tão óbvio, é que arranjar sexo (e, porque não, um mozão permanente) é um negócio difícil demais, que monopoliza nossa atenção e nos impede de gastar energia com outras coisas. É só pensar em quanto tempo da sua adolescência você passou com a cabeça nas nuvens porque beijou alguém na noite anterior. Não dá para evitar, é instinto.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Este verme está há 18 milhões de anos sem sexo

Deixe o seu comentário